Em noite de homenagens pelo aniversário de um ano do trágico incêndio no Centro de Treinamento do Flamengo, em que dez jovens da base morreram, o Maracanã ganhou o preto do luto, mas se coloriu de rubro-negro em memória dos Garotos do Ninho. Mais de 64 mil pessoas ficaram em silêncio em tributo no minuto inicial e até os 10 do primeiro tempo, para explodir em alegria aos 15 e 47 do segundo, quando Gabigol e Pedro fizeram os gols sobre o Madureira que classificaram o time para a semifinal da Taça Guanabara.

O jogo e a vaga ficaram em segundo plano antes de a bola rolar, quando bandeiras com fotos dos dez atletas foram erguidas na arquibancada. Nesse momento, a torcida escalou um a um pelo nome, gesto que se repetiu no intervalo. O Flamengo aproveitou a pausa para exibir um vídeo no telão do estádio com imagens dos jovens que se foram. Na comemoração do gol, o atacante Gabriel, que vestia camisa com o nome de Athila Paixão, juntou as mãos em oração. Os jogadores já haviam entrado com camisas com a inscrição “nossos10” e uma faixa com a frase “Para sempre por vocês”. Na arquibancada, também houve manifestações contra a demora no pagamento de indenizações.

Antes mesmo da partida começar, a chegada ao Maracanã ficou marcada por homenagens também do lado de fora. Muros do estádio foram grafitados com fotos dos dez atletas mortos. Feridos no incêndio, Francisco Dyogo, Cauan Emanuel e Jhonata Ventura participaram das homenagens em campo. Além deles, outros jovens sobreviventes compareceram ao Maracanã. Nenhuma das família das vítimas, por outro lado, esteve presente. Elas alegaram que não foram convidadas pelo clube, que confirmou.

Se o tratamento da diretoria foi questionado, no Maracanã a torcida esteve irrepreensível. Diferente da equipe do Flamengo. A atuação foi abaixo em relação à estreia diante do Resende. O técnico Jorge Jesus promoveu uma espécie de rodízio entre os titulares, voltou com Gerson na vaga de Diego, e tirou Filipe Luis para colocar Renê. Na zaga, Léo Pereira estreou ao lado de Gustavo Henrique. Enquanto a defesa ainda se ajustava, o ataque demorou a funcionar.

Apenas no segundo tempo, depois de apertar um pouco mais, Gabigol aproveitou sobra e colocou o Flamengo na frente. A esta altura Michael já estava em campo, e conseguiu abrir mais espaços no lugar de Éverton Ribeiro. Diego e Pedro jogaram alguns minutos, e o centroavante exibiu mais uma vez suas qualidades, ampliando para o Flamengo e anotando seu segundo gol com apenas oito minutos em campo na partida.

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Se achar algo que viole os termos de uso, denuncie. Leia as perguntas mais frequentes para saber o que é impróprio ou ilegal

Comentários