O Peixe saiu atrás no fim do primeiro tempo, com gol de Benítez, e virou na etapa final, quando Jobson e Kaio Jorge balançarem as redes pela primeira vez com a camisa alvinegra, nos minutos 26 e 39.

O Santos voltará a campo para enfrentar o Mirassol, sábado, na Vila Belmiro, pela nona rodada do Campeonato Paulista. Pela Libertadores, o próximo compromisso será diante do Delfín (EQU), na próxima terça, novamente na Vila – com portões fechados.

O Santos entrou em campo com uma formação diferente: uma espécie de 3-4-1-2 com a bola, com três zagueiros, Pará e Diego Pituca como alas, Evandro e Carlos Sánchez atrás de Eduardo Sasha e Yuri Alberto e Soteldo à frente.

A variação do técnico Jesualdo Ferreira funcionou defensivamente na maior parte do tempo. No ataque, porém, a dificuldade do Peixe continuou e não houve finalização na direção do gol no primeiro tempo.

E, curiosamente, o Alvinegro chegou ao gol quando era pior em campo, cenário distinto em relação aos primeiros 45 minutos. Jesualdo insistia com Soteldo pela direita, lugar onde o camisa 10 rende menos. Foi só ele ir para a esquerda e em pouco tempo achou Jobson na área. O volante, novidade na etapa final, cabeceou bonito para empatar aos 26 minutos.

O gol fez o Santos crescer na partida e chegar à virada. Soteldo tentou jogada individual e a bola sobrou para Kaio Jorge, outro substituto. O Menino da Vila avançou, se livrou da falta e marcou o segundo.

A vitória dá sobrevida a Jesualdo no comando do Peixe. Além disso, o treinador teve sinais da necessidade de armar esquema mais “simples”. A virada veio com Jobson e Diego Pituca como volantes, Soteldo na esquerda, Eduardo Sasha na direita e Kaio Jorge como centroavante, funções de preferência dos atletas.

Local: Estádio Norberto Tomaghello, em Buenos Aires (ARG) Data: 3 de março de 2020 (terça-feira) Horário: 19h15 (de Brasília) Árbitro: Gustavo Tejera (URU) Assistentes: Nicolás Tarán e Carlos Barreiro (URU) Cartões amarelos: Defensa y Justicia: Botta e Benítez; SANTOS: Luan Peres, Lucas Veríssimo, Evandro, Kaio Jorge e Carlos Sánchez

SANTOS: Everson, Lucas Veríssimo, Luiz Felipe (Felipe Jonatan) e Luan Peres; Pará, Carlos Sánchez, Evandro (Jobson) e Diego Pituca; Eduardo Sasha; Yuri Alberto (Kaio Jorge) e Soteldo Técnico: Jesualdo Ferreira

O time só precisa de confiança. Agora o Marinho volta e o time volta a voar. Começo do ano, além do técnico ser novo e gostar que jogue diferente do ano passado o time teve vários desfalques. Soteldo(pré-olimpico), Marinho(lesionado), Gustavo Henrique(saiu), Jorge(saiu), Lucas Verissimo(lesão); É meio time comparado ao do ano passado e as peças de reposição não são da mesma altura.

Agora voltou Soteldo, Verissimo, e o time já deu sinais de melhora. Com o Marinho voltando, o Santos terá dois pontas que desequilibram e é isso que funciona, porque a zaga não pode marcar um lado só, porque se marca bem o Soteldo o Marinho Brilha e assim vice versa.

Comentários