Ipê amarelo chama a atenção na avenida Domingos Olímpio. — Foto: Camila Lima

A primavera começa oficialmente nesta terça-feira (22) no hemisfério sul. Mesmo não sendo tão expressiva no Ceará, a estação aparece no florescimento das árvores como o ipê, na redução de nuvens no céu e consequentemente, no aumento da temperaturas máximas, que pode passar de 35°C. As informações são da gerente de Meteorologia da Fundação Cearense de Meteorologia e Recursos Hídricos (Funceme), Meiry Sakamoto.

Nesse período, por causa da inclinação no eixo da Terra e o decorrente aumento de incidência de sol na faixa intertropical, os dias e as noites têm duração similar.

Segundo o coordenador do Laboratório de Biogeografia e Estudos da Vegetação (Bioveg) e professor do Instituto de Ciências do Mar da Universidade Federal do Ceará (UFC), Marcelo Freire Moro, as mudanças ocasionadas pela primavera podem ser sentidas mais intensamente em regiões afastadas da Linha do Equador, como Chile ou Argentina.

“O Ceará não tem estações tão delimitada, como regiões mais ao sul e mais ao norte. Quando você está mais longe da Linha do Equador, é mais fácil notar as passagens da estação”, aponta.

Assim, apesar de o calendário marcar a passagem das estações do ano, o cearense não sente tanto as diferenças. “O comprimento dos nossos dias é praticamente igual o ano inteiro. A grande diferença vai ser a época das chuvas ou a época das secas, que não é ligado totalmente a esses dados”, acrescenta o pesquisador.

Árvores floridas nas ruas marcam chegada da primavera. — Foto: Camila Lima

O mês de outubro se caracteriza pelo tempo seco, com precipitações médias de 3,9 milímetros em todo o Estado, segundo a Funceme.

Dentre os municípios cearenses, Sobral apresenta maior temperatura máxima média no mês, com 36,6°C, seguido de Crateús (36°C) e Morada Nova (35,9°C), aponta o órgão a partir de dados do Instituto Nacional de Meteorologia (Inmet).

“Se a temperatura aumenta, reduz a umidade relativa do ar. Assim, as tardes quentes, principalmente no sertão, vêm acompanhadas de tempo seco – o que aumenta ainda mais a sensação de calor”, explica Meiry. Na faixa litorânea, a temperatura se torna mais amena por conta dos ventos e da umidade advinda do oceano.

Ventos fortes

Característica marcante destes tempos no Ceará, os ventos fortes chegam a uma velocidade média de 14,4 km/h em outubro, segundo o Inmet. Como a região está localizada entre o caminho de alta pressão do Atlântico Sul e a Zona de Convergência Intertropical (ZCIT), há a ocorrência de ventos mais intensos e constantes no segundo semestre.

Comentários