De símbolo sexual, a convidada do Conversa com Bial de terça-feira, 23/6, passou a ser símbolo da luta pelo fim da violência contra a mulher. Na noite de estreia da série documental Em Nome de Deus, que aprofunda e revela os bastidores da investigação de abusos sexuais do médium João de Deus, a atriz Luiza Brunet conversou com Pedro Bial sobre violência doméstica e o crescimento desse crime durante a quarentena.

Luiza Brunet trabalha com diversas instituições, como o Instituto Patrícia Galvão, e usa suas redes sociais como um “centro de atendimento informal”, na definição de Bial. Ela trouxe à conversa dados alarmantes: foram 195 os casos de feminicídio durante a pandemia e as denúncias registradas através do 180 cresceram 37% só em abril.

Luiza Brunet falou sobre os abusos que sofreu na adolescência e na vida adulta e explicou a trajetória até se tornar porta-voz contra essa forma tão comum de violência. Ao ver um trecho da série “Em nome de Deus” com depoimentos de mulheres abusadas pelo médium, emocionou-se:

Comentários