Carla Bruni, ex-primeira-dama da França, lança álbum e revela que ama a bossa nova: “Um estilo de música em que as pessoas cantam exatamente como eu gosto” – Glamurama

Ex-primeira-dama da França, modelo e cantora… Carla Bruni já transitou por todas as áreas, da moda à política, e acabou se fixando na música. Foi namorada de Mick Jagger e causou barulho ao abandonar o relacionamento que tinha com o respeitadíssimo filósofo Jean-Paul Enthoven para viver um romance com o filho dele, Raphaël. Essa história, aliás, faz parte da autobiografia de Raphaël, “Le Temps Gagné”, lançada recentemente, em que Carla é descrita como “a mulher ideal”. Mas tudo isso são águas passadas e Bruni vai dar pinta no Conversa com Bial dessa quinta-feira, para lançar um novo álbum. Entre os temas abordados, sua relação com a música e a inspiração por trás de algumas de suas mais recentes canções, escritas em três idiomas. “Tenho mais facilidade de compor em francês, mas essas duas músicas que compus em italiano e inglês foram bem fáceis, criadas de forma espontânea. E claro, são sobre o amor”. ‘Your Lady’, por exemplo, fala de um amor impossível: “Não é muito bom viver um amor impossível, mas é uma ótima inspiração para compor”, revelando que o marido, Nicolas Sarkozy, e amigos: “Eu faço as pessoas ouvirem minha música o tempo todo”.

Carla Bruni também fala de seu interesse pela bossa nova e o primeiro contato com o estilo musical, por meio das canções de João Gilberto: “O que eu mais gosto da bossa nova é o contraste entre os acordes extremamente sofisticados – é muito difícil de tocar, não é nem de longe uma música simples – e a gentileza e a doçura do jeito como os cantores usam a voz. Foi muito inspirador ouvir todo um estilo de música em que as pessoas cantam exatamente como eu gosto”.

Leia também  Curry faz boa partida em sua volta às quadras, mas Golden State é derrotado pelo Toronto Raptors

O anos em que foi modelo internacional e sua experiência como primeira-dama da França, de 2008 a 2012 também fizeram parte da entrevista. Sobre o que a fez trocar as passarelas pela música, Carla Bruni conta: “Na verdade, eu não planejei nada. Nunca pensei nisso como uma possível carreira. Mas eu sentia que a carreira de modelo estava acabando e comecei a ter cada vez mais tempo para a música. Comecei a tocar cada vez mais e tudo aconteceu naturalmente”. E sobre a política, revela: “Devo dizer que nunca fui muito ligada à política. Não que não me interesse. Sou uma sonhadora, e a realidade não é a minha coisa favorita. E a política está muito ligada à realidade”.

Ambos respeitadíssimos no meio intelectual da França, os filósofos Jean-Paul e Raphaël Enthoven têm sido personagens frequentes nas páginas de fofocas …

Torcedor de carteirinha do Paris Saint-Germain, Nicolas Sarkozy não marcou presença na partida entre o time e o Olympique de Marseille neste domingo, no está…