Um grupo de pessoas que teve o auxílio emergencial negado fez um protesto, nesta segunda-feira (22), em frente à Defensoria Pública da União (DPU), no bairro da Boa Vista, no Centro do Recife. Enquanto eles buscavam atendimento relacionado ao auxílio, a DPU informou que funciona apenas de forma remota, por telefone, até o dia 30 deste mês por causa da pandemia (veja vídeo acima).

Desde que o Ministério da Cidadania firmou parceria com a DPU para auxiliar as pessoas que tiveram o benefício negado pelo governo federal, a demanda da unidade do Recife aumentou de forma exponencial, segundo a defensoria. A ideia é que o órgão ajude no pedido de contestação do resultado.

Manifestantes, porém, cobraram atendimento presencial e alegaram que não conseguem o serviço por telefone. “Não aparece ninguém aqui para nos dar uma satisfação”, reclamou Clécio dos Santos, de 32 anos.

O atendimento dentro da parceria não é presencial como acreditavam alguns dos manifestantes, apesar do anúncio feito pelo Ministério. A DPU informou que está com as atividades na sede suspensas até 30 de junho.

O atendimento à população acontece por meio de dois telefones, que são (81) 3194-1200 e (81) 99243-4165, de segunda a sexta-feira, das 8h às 17h30, exceto nos feriados.

Além desses contatos, a DPU atende pelo WhatsApp, no número (81) 99515-6936. O horário de atendimento vai dar 8h às 15h, de segunda a sexta-feira, exceto feriados.

“As demandas do Whatsapp são resolvidas seguindo a ordem cronológica de chegada, isso pode demorar alguns dias considerando a demanda. Atualmente, está demorando cerca de 25 dias. Caso já tenha enviado, não faça outros envios pois sua mensagem vai sair da ordem de chegada inicial, atrasando ainda mais sua resposta”, pediu a DPU.

O protesto fechou a via em que fica a DPU e contou com a orientação de agentes da Autarquia de Trânsito e Transporte Urbano do Recife (CTTU). A autarquia foi acionada às 8h55. A via foi liberada antes das 11h.

Comentários