Mesmo sem nenhum caso confirmado do novo coronavirus no Ceará, o reitor da Universidade Federal do Ceará (UFC) , Cândido Albuquerque, admitiu que está estudando a possibilidade de realização de atividades remotas e não descarta suspensão temporária de aulas, caso haja agravamento do quadro do COVID-19. “Todo mundo está estudando [as possibilidades]. Nós não temos nenhum caso no Ceará, então nós estamos agora estudando a possibilidade de fazer atividades remotas, mas nenhuma possibilidade pode ser descartada por ninguém, em nenhum lugar do mundo”, pontua o reitor.

Cândido demonstrou precaução em relação ao cenário de preocupação em relação a esclada de casos suspeitos e confirmados de coronavirus no Brasil logo após a Universidade Federal do Ceará anunciar, nesta quinta-feira (12), a criação do comitê de gerenciamento de crise sobre o novo coronavírus (COVID-19). A ideia é que a Universidade se antecipe nos cuidados preventivos e na tomada de decisões frente à pandemia do coronavírus.

De acordo com Cândido, a a UFc está se esforçando para  que o calendário acadêmico possa ser mantido. Na manhã desta sexta-feira (13), integrantes da administração superior se reunirão novamente na Reitoria para a instalação oficial do comitê e o detalhamento das medidas de prevenção nos espaços da Instituição, que serão divulgadas posteriormente.

O comitê, que reúne o reitor da UFC, o vice-reitor, Professor Glauco Lobo e alguns diretores de unidades acadêmicas,  está acompanhando a situação do vírus no Ceará. “O comitê vai estar ligado praticamente 24 horas por dia, deliberando com a rapidez necessária e acompanhando todas as informações e deliberações [de ministérios e secretarias estaduais de educação e saúde]”, explica Glauco Lobo, médico e vice-reitor da Universidade Federal do Ceará.

A UFC, que receberá os Encontros Universitários em abril, também tem investido em ações de conscientização sobre o novo coronavírus. A campanha “UFC e você contra o coronavírus”, é uma dessas atividades. Ela reúne médicos e especialistas da Faculdade de Medicina na divulgação de precauções para evitar o Covid-19.

O crescimento do número de óbitos foi observado nos registros anuais da Secretaria da Saúde do Estado (Sesa), de 2016 a 2019. Atualmente, cerca de 5 mil pessoas no Ceará estão em fases avançadas de doença renal crônica

Ações contribuem na ressocialização das detentas e capacitam para o mercado de trabalho. Neste mês, a unidade penitenciária IPF Auri Moura Costa abriu 10 novas vagas, empregando um total de 50 mulheres

Todos os direitos reservados. Conteúdo protegido pelas leis de propriedade intelectual e de direitos autorais. O conteúdo não pode ser republicado, reescrito ou redistribuído, sob pena de responsabilização do infrator no âmbito cível e criminal.

Comentários