Neste domingo (8), utilizando a hashtag #diadasmulheres, no Twitter, as mulheres estão debatendo sobre o significado da data e expondo que desejam, não apenas no 8 de março, mas todos os outros.

Feliz nosso dia! Que não só hoje, mas que sejamos respeitadas, valorizadas, bem tratadas todos os dias, porque merecemos. Que sejamos cada vez mais fortes/unidas pra lutarmos por igualdade e respeito mútuo! Que sejamos gratas a nós mesmas. ????????? #diadasmulheres pic.twitter.com/BWmLKPl4Mi

Oficializado pela Organização das Nações Unidas (ONU) em 1975, o chamado Dia Internacional da Mulher é comemorado desde o início do século 20. É importante relembrar o significado da data, que nasceu da luta política das mulheres por mais direitos. Ela é associada a um evento trágico nos Estados Unidos, em meio ao processo de industrialização que precarizou as condições de trabalho para os operários.

Em 1908, um incêndio em uma fábrica têxtil da Cotton, em Nova Iorque, matou 146 pessoas, sendo 125 mulheres e 21 homens. Ao longo do tempo, o dia que simboliza resistência foi reduzido a brindes, como detalha a ativista do movimento Marcha da Mulher em Pernambuco, Elisa Maria Lucena: “Foi muito captado por uma perspectiva comercial que esvazia o verdadeiro conteúdo da data. Tem essa ideia de homenagear sempre essa pretensa delicadeza das mulheres”, disse.

É a interpretação da notícia, levando em consideração informações que vão além dos fatos narrados. Faz uso de dados, traz desdobramentos e projeções de cenário, assim como contextos passados.

Reportagem de fôlego, que aborda, de forma aprofundada, vários aspectos e desdobramentos de um determinado assunto. Traz dados, estatísticas, contexto histórico, além de histórias de personagens que são afetados ou têm relação direta com o tema abordado.

Abordagem sobre determinado assunto, em que o tema é apresentado em formato de perguntas e respostas. Outra forma de publicar a entrevista é por meio de tópicos, com a resposta do entrevistado reproduzida entre aspas.

Comentários