O governador de São Paulo, João Doria, pediu hoje (18) o fechamento dos shoppings centers e de academias de ginástica da região metropolitana de São Paulo a partir da próxima segunda-feira (23) até o dia 30 de abril. Medida visa conter a disseminação do novo coronavírus.

Além disso, o governador anunciou também que os postos do Poupatempo e do Detran terão contenção de fluxo. Eles não serão fechados no momento, mas a intenção é diminuir bastante o fluxo nesses locais para evitar aglomeração e a propagação do vírus. “Estamos regulando o fluxo nessas unidades. Não há fechamento, mas regulação para permitir fluxo adequado e sem concentração de pessoas”, falou Doria.

O governador disse ainda que, neste momento, não vê razões para medidas mais drásticas, como impedimento de que pessoas possam ir às praias no litoral paulista ou fechamento de bares e restaurantes. Mas pediu prudência para a população e ressaltou que elas devem evitar aglomeração de pessoas. “Não é recomendável aglomeração de pessoas em qualquer região do estado”.

Doria anunciou também uma parceria com até mil farmácias da capital paulista para que a vacinação contra a gripe, que tem início na próxima segunda-feira (23), possa ser feita também nesses locais. Nas farmácias, a vacinação terá início no dia 13 de abril. Outra parceria prevê o aumento da entrega de medicamentos de alto custo para 830 mil pacientes, evitando que eles saiam de casa. “Estaremos acumulando essa entrega de três em três meses para que eles não precisem vir até as farmácias mensalmente”, informou o secretário estadual de Saúde, José Henrique Germann.

Outro anúncio é a destinação de mais R$ 275 milhões em linhas de crédito para conter os efeitos da pandemia na economia paulista. O dinheiro extra será aplicado por meio dos programas Banco do Povo e Desenvolve SP, que incentivam o empreendedorismo e à geração de emprego e renda.

O governador anunciou ainda que foi feita uma parceria com operadoras de celular para disparos de SMS com informações e recomendações sobre Covid-19. A medida deve alcançar 15 milhões de pessoas.

O secretário de saúde do estado, José Henrique Germann, disse que 20% do total de casos confirmados e notificados de Covid-19 no estado são de pacientes em estado grave. “Temos pacientes graves internados na UTI, que gira em torno de 20% do total de casos. Isso está dentro do esperado”, falou o secretário. Segundo ele, hoje há condições de atender todos esses pacientes, mas a preocupação é com o aumento da demanda. “Estamos nos preparando para que essa demanda aumente e possamos ter oferta mais condizente para atender esses pacientes. Temos um teto de 1,4 mil leitos novos em UTI e até agora já temos 1.049 leitos”, falou Germann.

De acordo com o infectologista David Uip, coordenador do Comitê de Contingência do Coronavírus em São Paulo, o total de casos confirmados de Covid-19 em todo o estado somou 196 hoje, o que inclui pacientes internados e não internados. Em todos esses casos mais graves, informou Uip, os pacientes têm o perfil que já era esperado. “Fundamentalmente eles têm mais de 60 anos com comorbidades, o que não quer dizer que não teremos casos de jovens. Neste momento, o perfil é o que está descrito na literatura”, falou.

Durante coletiva realizada no início da tarde de hoje, em São Paulo, Uip reclamou de áudios que estão circulando nas redes sociais que falam da existência de inúmeras pessoas internadas e de médicos contaminados. Segundo ele, esses áudios não são verdadeiros, criam pânico exagerado e não contribuem para a solução do problema. “Isso está causando pânico, de forma mentirosa”, falou.

Uip comentou também sobre o fato do paciente que morreu por Covid-19 na capital paulista não ter figurado anteriormente na lista de pessoas contaminadas pelo novo coronavírus no estado. Segundo ele, isso aconteceu porque os hospitais só informam os casos graves que são confirmados do novo coronavírus. No caso deste paciente, especificamente, a confirmação para a doença demorou. “Hospital não comunica gravidade de doente. Essa comunicação é feita quando há identificação do agente causal. O diagnóstico [desse paciente que morreu por coronavírus] saiu só na manhã de ontem”, disse Uip. “Há diferença entre notificar casos graves e entre notificar casos graves com coronavírus”, ressaltou Uip.

Segundo ele, todos os familiares das 196 pessoas que tiveram confirmação para coronavírus estão sendo acompanhadas no estado, o que soma mais de 8 mil pessoas. Isso inclui os familiares do paciente que morreu pelo novo coronavírus. “O que ocorreu nesse caso: isso entrou no nosso sistema de forma informal ontem de manhã. Daí deflagrou o que deveria ser feito com a família, que seriam seis pessoas. Saiu da rotina por conta da forma de notificação, que só ocorreu após a confirmação do caso”, falou ele.

Comentários