Enquanto essa saída não ocorre de fato e buscando escapar dessa rigidez legislativa, a marca italiana apresentou uma versão híbrida do Panda, irmão do nosso Uno e um dos principais representantes do segmento no velho continente.

Diferente da versão a combustão, que é equipada com motor 1.2 Fire de quatro cilindros, o Panda Hybrid usa o 1.0, de 3 cilindros Firefly (sim, praticamente o mesmo dos Uno, Mobi e Argo brasileiros).

Em versão a gasolina, o motor é capaz de gerar 70 cv de potência e 9,38 mkgf de torque a 3.500 rpm. O câmbio é manual de 6 velocidades, que foi otimizado na versão híbrida para ajudar na redução de consumo.

No Panda, este motor elétrico funciona em um sistema 12V alimentado por uma bateria de lítio. Com esse sistema híbrido parcial auxiliando o motor 1.0, há redução na emissão de gases poluentes em até 30%, no caso da versão aventureira.

* A Abril não detém qualquer responsabilidade sobre os comentários postados abaixo, sendo certo que tais comentários não representam a opinião da Abril. Referidos comentários são de integral e exclusiva responsabilidade dos usuários que escreveram os respectivos comentários.

Comentários