Somente nos presídios paulistas, existem 700 mulheres trans. Ou seja: presas que nasceram num corpo de homem, mas são mulheres confinadas em cadeias masculinas. Uma população carcerária que enfrenta o preconceito, o abandono e a violência.

Quem conhece bem essa realidade é o doutor Drauzio Varella. Há décadas, o doutor Drauzio trabalha como médico voluntário em penitenciárias. Nesta reportagem especial, ele mostrar a vida que mulheres trans levam nas prisões do Brasil. Uma história que começa num encontro com presidiárias trans no Centro de Detenção Provisória de Pinheiros, em São Paulo.

Comentários

Você não precisa sofrer pra fazer dieta.

entre para o Desafio 19 dias