Uma psicóloga de 31 anos que trabalha em uma escola particular de Goiânia é uma das três pessoas que tiveram a infecção por coronavírus confirmada em Goiás. Devido à situação, o colégio suspendeu as aulas nesta sexta-feira (13) para que o local passasse por um processo de desinfecção.

A escola enviou um comunicado aos pais dos alunos para informar sobre a situação. Nele, a instituição explica que a psicóloga viajou aos Estados Unidos entre os dias 16 de fevereiro e 3 de março. Dois dias depois, ela esteve no colégio.

O texto destaca que a profissional realiza atendimento individual e terapia de meditação em grupo, mas que, após seu retorno, não havia sessões individuais agendadas. Por isso, foi realizada somente uma atividade em grupo, “sem contato físico com os alunos e por meio de comandos sonoros”.

O colégio informou ainda que, quando a psicóloga chegou de viagem, os EUA não eram considerados zona de contágio do coronavírus. Porém, após o "crescimento exponencial do número de casos" no país, ela foi orientada, mesmo sem sintomas, a procurar atendimento médico. O teste foi realizado e teve o resultado divulgado na quinta-feira (12).

Uma delas também é moradora de Goiânia, tem 38 anos e viajou recentemente para a Itália. A outra é uma idosa de 61 anos que vive em Rio Verde, região sudoeste do estado, e que viajou para a Espanha. Assim como a psicóloga, elas estão isoladas em casa e assintomáticas.

Todos as pessoas que tiveram contato com as três mulheres também são monitoradas. Os exames foram feitos pelo Laboratório de Saúde Pública Dr. Giovanni Cysneiros (Lacen/GO), em Goiânia, testaram positivo e aguardam contraprova.

Comentários