O sargento Antônio Carlos Moraes Oliveira, 54 anos, da Polícia Militar do Piauí, morreu na tarde desse sábado (20) após complicações do estado de saúde decorrentes do coronavírus. O policial faleceu dentro de casa, no município de Luzilândia, Norte do estado.

De acordo com a nota da PM-PI, o sargento sofreu uma parada cardíaca, devido a uma insuficiência respiratória causada pela síndrome respiratória aguda grave, um dos sintomas da Covid-19.

Antônio Carlos Moraes Oliveira estava na corporação desde 1986 e trabalhou na 3ª Companhia do BPGUARDA e BPRE. Ele entrou na reserva remunerada, mas voltou a ativa e atualmente se encontrava no Núcleo de Voluntário da Reserva Remunerada, prestando serviços no Fórum de Luzilândia.

É com profundo pesar que a Polícia Militar do Estado do Piauí informa o falecimento do 3º Sargento RR Antônio Carlos Moraes Oliveira, 54 anos, ocorrido na tarde desta sábado (20), em seu domicilio na Cidade de Luzilândia, vítima de parada cardíaca, síndrome respiratória aguda grave, insuficiência respiratória e infecção por coronavírus.

O Sargento Moraes, estava na Corporação desde 1986, durante seus anos na ativa trabalhou na 3ª Companhia do BPGUARDA e BPRE, estava na reserva remunerada e atualmente se encontrava de volta a ativa pelo Núcleo de Voluntário da Reserva Remunerada, prestando serviços no Fórum de Luzilândia.

Neste momento de dor, o Comando Geral da PMPI se solidariza com familiares e amigos pela perda do companheiro, bem como agradece ao militar por toda dedicação e trabalho prestado a Instituição e a toda sociedade piauiense.

Para evitar a contaminação pelo vírus, o isolamento social e medidas emergenciais foram determinadas por meio de decretos do governo do estado e das prefeituras, como na capital piauiense, para que a população fique em casa e evite ao máximo ir às ruas. Aulas em escolas e universidades, a maioria das atividades comerciais, esportivas e de serviços em geral estão suspensas por tempo indeterminado.

Serviços essenciais como farmácias, postos de combustíveis e supermercados continuam mantidos mas estão regulamentados. O atendimento em clínicas, hospitais e laboratórios, assim como o funcionamento de escritórios de advocacia e contábeis também foram liberados mediante cumprimento de regras.

O uso de máscaras em locais públicos tornou-se obrigatório em todo o estado. Policiais fazem abordagens nas fronteiras do estado a ônibus e veículos particulares. Os decretos preveem que quem descumprir as regras pode ser penalizado com multa ou até prisão.

Lavar as mãos de forma correta (veja vídeo), uso de álcool em gel, sempre usar máscaras, evitar contato pessoal e aglomerações de pessoas são algumas das orientações para evitar o contágio da doença.

É importante também ficar atento quanto aos principais sintomas (tosse seca, congestão nasal, dores no corpo, diarreia, inflamação na garganta e, nos casos mais graves, febre acima de 37° C e dificuldade para respirar). Um guia ilustrado preparado pelo G1 ajuda a tirar dúvidas.

Comentários