Categorias
Notícias

O Supremo Tribunal Parado Anti-Aborto Impulso. Por Agora.

O anti-aborto movimento tem um longo pipeline de novos casos, que, se tomadas pelo Supremo Tribunal federal, poderia apresentar mais um desafio direto ao Roe v. Wade, em 1973 a decisão que estabeleceu federal de proteção para o aborto. Em junho, havia pelo menos 16 casos de aborto antes dos Estados Unidos tribunal de apelações, o último passo antes de o Supremo Tribunal federal, segundo advogados, no planned Parenthood Federation of America.

A Louisiana caso, através de uma 2014 a lei que exigia que os médicos que executam abortos ter de admitir privilégios nas proximidades, hospitais, nunca foi pensado como uma maneira de derrubar Roe v. Wade. Era um pequeno pedaço de uma estratégia mais ampla para restringir o aborto através de uma miríade de leis estaduais que juntos poderiam desgasta geral de acesso.

Que projeto político já significativamente reduzido aborto em grandes áreas do Sul e do centro-Oeste. E, pelo menos, cinco estados têm apenas uma clínica de aborto para esquerda: Mississippi, Missouri, Dakota do Norte, Dakota do Sul e Virgínia Ocidental.

A decisão em segunda-feira, o primeiro grande caso de aborto desde que o Presidente Trump mudou o tribunal de justiça do equilíbrio de poder para a direita, também mostrou pela primeira vez que os Juízes Neil M. Gorsuch e Brett M. Kavanaugh lados com o anti-aborto causa, como se esperava pelo veterano de ativistas. A decisão vai ainda mais a pressão social conservadores para re-eleito Mr. Trump, então ele pode ter uma terceira oportunidade de nomear um juiz na hora de regra mais significativos aborto casos, trabalhar o seu caminho até a Suprema Corte. Muitas dessas leis, teria uma muito maior alcance do que a Louisiana caso.

Enquanto desafios legais para o aborto, muitas vezes, levar anos para chegar ao Supremo Tribunal federal, os estados continuaram a adicionar à lista, passando por dezenas de novas leis nos últimos anos. Este mês, Tennessee, eua aprovou um projeto de lei que iria proibir o aborto desde as seis semanas de gravidez, sem exceções em casos de estupro ou incesto.

O presidente da Susan B. Anthony List, um anti-aborto grupo, chamado de segunda-feira a decisão de uma “amarga decepção”, mas, olhando para a eleição de novembro, elogiou Mr. Trump para a nomeação de Juízes Gorsuch e Kavanaugh, que foi contra a decisão.

“É imperativo que nós re-eleito Presidente Trump e a nossa pró-vida da maioria no Senado dos EUA para aumentar ainda mais a restaurar o poder judiciário, especialmente o Supremo Tribunal federal,” o presidente do grupo, Marjorie Dannenfelser, disse. “O presidente Trump, coadjuvado por pró-vida da maioria no Senado, está mantendo sua promessa de nomear constitucionalista Supremo Tribunal de justiça juízes e outros juízes federais.”

Para o aborto-movimento de direitos, que tem enfrentado uma série de decepções nos últimos anos, a decisão foi o melhor resultado que os advogados poderiam ter esperado, dada a nova inclinação conservadora do tribunal. De segunda-feira a decisão permite Louisiana três restantes clínicas de aborto para ficar aberta.

Aborto e direitos advogados disse que a vitória iria preservar o acesso para uma clientela que é desproporcionalmente pobres e de cor. Cerca de 8.000 abortos foram realizados em Louisiana, em 2018, de acordo com estatísticas do estado. Mais de dois terços do aborto pacientes, há mulheres de cor.

“É uma loucura vezes, e isso é maravilhoso e coisa boa”, disse Kathaleen Pittman, o diretor da Esperança, do Grupo de Médicos para as Mulheres, a Shreveport baseado em clínica no centro do caso. Na manhã de segunda-feira, a clínica foi de ver os pacientes, e ela descreveu o humor após a decisão como “absoluta vertigem.”

Novembro é um importante momento para a luta sobre o aborto. Mr. Trump lance para a re-eleição vai testar a profundidade do seu apoio entre a população branca evangélicos e Católicos que apoiam o presidente para o quanto ele tem avançado anti-aborto políticas.

Controle dos legislativos estaduais também está sobre a mesa. Cerca de 80 por cento de estado lugares são para a eleição deste ano, de acordo com a Conferência Nacional de Legislaturas Estaduais. Qualquer partido obtém maioria controle terá um tremendo poder para remodelar a paisagem jurídica para o aborto por anos para vir.

O anti-aborto movimento tem feito grandes ganhos em legislaturas estaduais em todo o país, o que lhes permitiu passar de uma enxurrada de proibições nos últimos anos. Recuperação de energia em nível estadual para o aborto-movimento de direitos exigirá minucioso das raízes de trabalho.

Para os conservadores, de segunda-feira a decisão é uma oportunidade política para energizar Mr. Trump religiosos conservadores da base de dados no momento em que ele trilhas ex-Vice-Presidente Joseph R. Biden Jr. em seis estados, inclusive em lugares como Michigan e Pensilvânia, onde brancos Católicos podem ser importantes eleitores indecisos. Kayleigh McEnany, o Branco secretário de imprensa da Casa, chamou a decisão de “infeliz.”

“Em vez de valorizar princípios democráticos fundamentais, não eleitos os desembargadores intrometeu no prerrogativas da soberania do estado, os governos, impondo a sua própria política de preferência a favor do aborto para substituir legítimo o aborto normas de segurança”, disse ela em um comunicado.

O aborto-movimento de direitos estava usando o Mr. Trump nomeações de Juízes Gorsuch e Kavanaugh como reunir chamadas para campanhas de assumir cadeiras no Senado, tais como as realizadas por Susan Collins, Republicanos do Maine, e Joni Ernst, Republicano de Iowa. Segunda-feira, a decisão da pareceu reforçar essa estratégia.

“Esta é uma grande notícia, mas a batalha continua, as pessoas,” Ilyse Hogue, presidente da NARAL Pro-Choice America, um aborto grupo de direitos, escreveu no Twitter. “Enquanto Kavanaugh fica no banco, nossos direitos estão na linha—e nós precisamos de sua ajuda para virar o Senado.”

Advogados para a clínica, argumentou que a sua vitória foi retumbante porque envolveu o Supremo Tribunal do acórdão em seu favor, pela segunda vez em quatro anos, em um caso que envolvia, admitindo privilégios. A lei foi praticamente idêntico ao Texas lei, grande parte do qual o Supremo Tribunal federal derrubou, em 2016, e da Justiça, Stephen G. Breyer, afirmou, na sua opinião. Até mesmo o Chefe de Justiça John G. Roberts Jr., que se posicionou contra o aborto-grupos de direitos no caso de 2016, deu o seu apoio qualificado na segunda-feira da decisão.

“Duas greves, você está fora”, disse T. J. Tu, conselheiro sênior do Centro para os Direitos Reprodutivos e de um advogado para a clínica. A mensagem, ele disse, foi que “os estados devem realmente bater com isto.”

Mas em muitos aspectos, a decisão foi a estreita colocando para descansar apenas uma de muitas estratégias legais usados pelos anti-aborto movimento para reduzir o acesso. As legislaturas, em grande parte em vermelho estados, passaram dezenas de anti-as leis de aborto no ano passado.

Nem é um dado que o 5 para 4 decisão significa que o Chief Justice Roberts será sempre a lado com o tribunal de justiça liberal da ala do aborto em casos. Embora ele foi o voto decisivo para a segunda-feira da decisão, o chefe de justiça especificado em seu voto concordante de que ele acreditava que a 2016 precedente, que segunda-feira a decisão foi baseado foi “injustamente decidido.”

“A opinião fez lamacentas águas um pouco,” disse Julie Rikelman, um advogado do Centro de Direitos Reprodutivos, que defendiam segunda-feira do caso perante o Supremo Tribunal, em nome da clínica. “Ele vai levar a mais de litígio, e não menos.”

Enquanto o mais severas proibições — aqueles que proíbem o aborto depois de um batimento cardíaco fetal é detectado — têm atraído considerável atenção, Ms. Rikelman disse que ela não espera que aqueles a ser tomada pelo Supremo Tribunal federal. Mais provável, disse ela, seria qualquer número de casos que diminuem o acesso peça por peça. O próximo poderia ser sobre a proibição de dilatação e evacuação procedimento que é comum no segundo trimestre de gravidez, ou sobre o aborto com base em um diagnóstico de síndrome de Down.

Comentários