Pabllo Vittar, 24, foi eleita pela Time, como uma das líderes da nova geração. A revista norte-americana destaca que a drag queen brasileira é um grande sucesso não apenas no mundo pop, mas também na luta pela igualdade dos direitos LGBTQ+. A maranhense figura na lista ao lado de mais nove personalidades, entre as quais a ativista sueca Greta Thunberg, 16, e o deputado federal brasileiro David Miranda (PSOL), 34. “Como artista, você tem o dever de se posicionar sobre as coisas e trazer junto com a sua popularidade as mensagens que realmente importam”, disse Pabllo à publicação.

A matéria da Time falou também sobre os protestos ocorridos no Brasil no segundo semestre de 2018 contra o atual presidente Jair Bolsonaro (PSL), conhecidos como “ele não”, apontando a drag queen como voz ativa nessa resistência.  “Às vezes, sinto muita vergonha de ser brasileira por causa desse presidente. As pessoas estão morrendo, tendo suas casas e direitos retirados”, afirmou a artista.  A revista reforça ainda que seja no Carnaval do Rio ou na sede da ONU (Organização das Nações Unidas), Pabllo usou sua influência para se manifestar contra os perigos a que a população LGBTQ+ está exposta. “Se falar me colocará em um lugar arriscado, vamos todos morrer tentando”. ​

Copyright Folha de S.Paulo. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso, sem autorização escrita da Folhapress (pesquisa@folhapress.com.br).