“Creio que vai marcar a vida”. Foi com esse pensamento que a professora Daniele Moura, de 36 anos, e o marido dela Marcos Roberto lançaram uma campanha nas redes sociais para arrecadar fundos e levar um grupo de crianças carentes ao cinema.

Para alcançar o objetivo, Daniele juntou o grupo de crianças e adolescente com cartazes com a frase “quero ir ao cinema”. A campanha foi lançada nesta sexta-feira (28) no Facebook e a professora diz que já consegui algumas doações.

“Não sei quanto custa esse transporte, mas preciso dar um lanche também para eles, porque muitos passam muita necessidade. Às vezes, o lanche que damos para eles é a única refeição do dia, é uma situação muito crítica. São crianças muito carentes”, explicou.

A professora e o marido têm um projeto na comunidade, que iniciou em 2015 e era administrado por um missionário. Há dois anos o projeto foi repassado para o casal, que vai todo sábado dar aulas de futebol e ensinar a bíblia para a criançada. O casal faz parte de uma comunidade evangélica de Rio branco.

“São crianças, adolescentes e jovens. Quando vão todos, são 30, mas têm alguns que estão lá todos os sábados, já visitamos os pais. Tem toda uma questão, não é só ir lá e ensinar futebol. Conhecemos os pais, ajudamos no que é possível com cesta básica, consulta médica. É bacana”, acrescentou.

Daniele conta que um amigo da igreja, que desenvolve um trabalho voluntário com crianças do Conjunto Habitacional Cidade do Povo, se juntou a ela para tentar levar o grupo dele ao cinema também. Para isso, o rapaz tenta conseguir a liberação de uma sala no cinema para as crianças assistirem um filme.

“Desde que assumimos, no Dia das Crianças levamos bastante comida, cachorro quente, bolo e, às vezes, conseguimos levar brinquedo, mas queria que eles saíssem de lá um pouco. Falamos que Rio Branco é próximo, mas muitos não vêm aqui no Centro. Acredito que a maioria não foi ao cinema. Perguntei e vi que uns três, no máximo, levantaram a mão. Quero surpreendê-los de alguma forma”, confirmou.

“Se a gente conseguir a liberação no cinema, fica mais fácil de corrermos atrás só do transporte e o lanche para eles. Já consegui uma quantia hoje, duas pessoas ajudaram, mas se for usar no transporte é pouco. O Catuaba não fica muito longe, mas o ramal é difícil”, avaliou.

A ideia inicial de Daniele era levar a garotada para uma chácara para desfrutar um dia na piscina com muita brincadeira e bagunça. Porém, ela foi aconselhada por amigos que poderia não dar conta de cuidar de tanta criança ao mesmo tempo.