“Sinto que se voltar a estudar e me concentrar posso fazer parte no Congresso. Só preciso de uns dois anos na escola e poderei virar a mesa”, disse a rapper conhecida por hits como “Bodak Yellow,” “Money” e “I Like It”.

A stripper que se tornou estrela de rap já tem um passado político. Em 2016, ficou famosa por motivar seus fãs com um vídeo repleto de palavrões em que pedia “vote no papi Bernie [Sanders]” e alertava mulheres estrangeiras: “Vão ser deportadas se Trump for presidente”.

A cantora também está por trás da campanha presidencial de Sanders, e se reuniu com o senador de Vermont em um salão de beleza para discutir o salário mínimo, o cancelamento da dívida estudantil e a crise climática. 

Aos 27 anos, ela tem idade para concorrer à Câmara dos Representantes –o mínimo são 25 anos. Ela precisaria esperar chegar aos 30 para lançar uma candidatura ao Senado e aos 35 para tentar ser presidente. 

Seus seguidores elogiaram a reflexão política que a vencedora Grammy fez nas redes sociais: “Não precisa voltar a estudar se não quiser! Você pode aprender com as pessoas que já estão em movimentos de luta e ler isso por conta própria, ou com outros. Seria genial”, sugeriu Natalie Shure no Twitter.

Copyright Folha de S.Paulo. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso, sem autorização escrita da Folhapress (pesquisa@folhapress.com.br).

Facebook Comments