Se todo artista tem que ir aonde o povo está, como eternizou Milton Nascimento nos versos da canção “Nos bailes da vida”, a formação profissional também precisa estar em todos os cantos. Com o objetivo de descobrir e aperfeiçoar talentos, o Instituto Vibrart abre suas portas a partir de março, em São Gonçalo, apenas um ano e meio após a criação da Orquestra Vibrart, em Niterói, que conta com 80 músicos, entre 17 e 66 anos. Idealizado pelo produtor de espetáculos e eventos Fernando Jardim, o instituto tem a função de democratizar o acesso à cultura e formar profisisonais da área, com padrão internacional, em cursos reconhecidos pelo MEC. Em parceria com a Faculdade Lusófona e com o Colégio Paraíso, as aulas de canto, dança, violão, cavaco, bandolim, flauta transversa e violino serão ministradas nos estabelecimentos de ensino que ficam no bairro Paraíso.

— É de São Gonçalo a maioria dos músicos da orquestra, então decidimos que o instituto seria nessa cidade, porque sentimos que a população local precisa de opções de cursos mais perto de casa para desenvolver os talentos que nascem ali. A proposta é oferecer formação técnica de profissionais em diversas áreas artísticas com a mentalidade de fomentar a criatividade. Dessa vez, a mordida na maçã é maior (risos). Estamos começando com música e dança, mas vamos ter cursos de DJ, cinema, teatro, artes plásticas, produção de vídeos… — enumera Jardim, que morou durante 30 anos nos Estados Unidos, trabalhando diretamente com o mundo de showbiz em Atlanta e Orlando.

— Em termos de criatividade cultural, os Estados Unidos, especialmente na parte musical, são quase hors concours. Nós, nesse sentido, estamos muito atrasados. Mas abrir um espaço como esse é uma forma de descobrir e lapidar talentos. Acredito que daqui a 30 anos poderemos ter uma cultura parecida com a dos Estados Unidos e de alguns países da Europa, como a Inglaterra, se o povo tiver acesso às artes. Isso é possível. O que falta aqui é oportunidade — frisa.

Cantora lírica, musicista, musicoterapeuta e coordenadora pedagógica do Instituto Vibrart, Grace Castro enaltece a importância da instituição estar localizada em São Gonçalo e adianta que todos os gêneros musicais terão espaço nos cursos oferecidos, a preços abaixo dos praticados no mercado, para crianças a partir da educação infantil e sem limite de idade máxima:

— Faltava em São Gonçalo um lugar como esse para fazer arte. Nos cursos de música, o repertório será o mais diversificado possível. Teremos desde os clássicos até a lingaugem contemporânea, como funk e hip hop. Haverá espaço também para samba, pagode, bossa nova, MPB…

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não
representam a opinião deste site. Se achar algo que viole os termos de
uso, denuncie. Leia as perguntas mais frequentes para saber o que é
impróprio ou ilegal

© 1996 – 2020. Todos direitos reservados a Editora Globo S/A. Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.

Facebook Comments