A África está em um momento “crucial” na luta contra a covid-19, registrando um aumento no número de mortes após a flexibilização das restrições em vários países – alertou a diretora da Organização Mundial da Saúde (OMS) para este continente, Matshidiso Moeti, nesta quinta-feira (15).

Os casos de contágio semanais aumentaram 7%, em média, nos últimos 30 dias, em todo continente, e as mortes, 8%, de acordo com os Centros de Prevenção e Controle de Doenças na África (Africa CDC), agência especializada da União Africana (UA).

“Estamos realmente em um momento crucial da pandemia na África. As curvas da epidemia no continente experimentaram uma tendência de queda nos últimos três meses. Essa queda se estabilizou”, afirmou Moeti, em entrevista coletiva.

Apesar da preocupação inicial com as consequências potencialmente devastadoras da epidemia em um continente pobre e com grande precariedade de saúde, os 55 Estados da UA registraram até o momento 1,6 milhão de casos, ou 4,2% do total mundial, de acordo com o CDC África.

Muitos países aplicaram rapidamente medidas restritivas e limitaram os deslocamentos durante longos períodos para, depois, irem gradualmente amenizando as restrições.

“Já estamos vendo o que acontece na Europa quando eles suavizam o bloqueio, como o número de novos casos aumentou e como alguns países contemplam um novo confinamento. Não podemos permitir isso”, frisou o diretor do CDC Africa, John Nkengasong.

A África do Sul acumula metade dos casos do continente. No Norte da África, Marrocos, Tunísia e Líbia também registraram altas significativas no número de contágios nas últimas semanas.

A proximidade com a Europa também preocupa os especialistas, “no momento em que a África reabre suas fronteiras para viagens de negócios e turistas”, completou Moeti.

Nota de esclarecimento A Três Comércio de Publicaçõs Ltda. (EDITORA TRÊS) vem informar aos seus consumidores que não realiza cobranças por telefone e que também não oferece cancelamento do contrato de assinatura de revistas mediante o pagamento de qualquer valor. Tampouco autoriza terceiros a fazê-lo. A Editora Três é vítima e não se responsabiliza por tais mensagens e cobranças, informando aos seus clientes que todas as medidas cabíveis foram tomadas, inclusive criminais, para apuração das responsabilidades.

Comentários