Arieta Corrêa, a vilã Leila em “Amor de mãe”, está se acostumando a receber ameaças – em tom de brincadeira – por onde passa. Dia desses, na ponte aérea Rio-São Paulo, ouviu uma mulher dizer que estava com vontade de dar uma surra nela. A atriz conta que se diverte com a reação do público:

– Meu grande objetivo é tocar o coração das pessoas, nem que seja através da raiva. Elas dizem que estão com ódio de mim e que que querem ver Lurdes (Regina Casé) batendo na Leila com um guarda-chuva. Eu sorrio e agradeço. Eu acho isso bom. De um jeito ou de outro, o telespectador está sentindo algo.

Para o papel, a artista tem se dedicado desde as primeiras leituras. Ao receber o convite de José Luiz Villamarim, decidiu por conta própria emagrecer para fazer uma caracterização mais fiel da mulher que passou anos em coma.

– Cheguei à conclusão de que a figura da pessoa hospitalizada tem esse aspecto mais debilitado. Perdi quase seis quilos. Agora, já recuperei parte deles, pois a Leila está numa outra fase – explica a atriz, de 42 anos. – Estive com pessoas que tiveram familiares na mesma situação e me impressionei ao ver que a doença é capaz de deixar o ser humano atordoado. Sobreviver a isso é uma espécie de ressurreição. 

Ao mesmo tempo em que está num papel de destaque no horário nobre, Arieta responde frequentemente à curiosidade das pessoas sobre o motivo de não ter feito tantos trabalhos na televisão. Ela estourou aos 18 anos como a Chiquita de “O Rei do Gado” e, antes de “Amor de mãe”, participou da minissérie “A teia”, em 2014:

– Muita gente me pergunta sobre isso. As coisas foram acontecendo naturalmente. Acho que, se não fiz televisão, foi porque não me chamavam ou porque estava em cartaz no teatro e não poderia abandonar a turnê. Costumo ser leal ao lugar que escolhi ficar.

Mãe de Brenda (Clara Gallinari) na ficção, Arieta tem um filho com quase a mesma idade na vida real: Gael, de 11 anos, fruto de seu casamento com o ator Rodrigo Veronese (foto abaixo). Eles se casaram em 2009, mas a união durou apenas três meses:

– Quando nos casamos, foi uma coisa explosiva, quase um amor adolescente. Em seguida, nos separamos. Mas ficou claro que o que tinha que acontecer era o nosso filho. Deus permite certas coisas e a gente só entende lá na frente. Rodrigo é meu grande amigo, ótimo pai, desses que toda mãe quer para o filho. E Gael é incrível.

Se no folhetim Leila vive tentando retomar a vida com o ex, Magno (Juliano Cazarré), fora da TV Arieta encontrou há quatro anos um novo amor: o produtor português Pedro Santos.

– Fui fazer turnê com uma peça em Portugal, ficamos juntos e ele veio comigo para o Brasil há quatro anos. Produzimos peças juntos, temos um festival internacional lusófono, o YESU Luso… Temos muita afinidade e somos bastante companheiros.

Para Roberto D’Avila, que foi a Beirute, no Líbano, fazer uma entrevista exclusiva com Carlos Ghosn, executivo que empreendeu uma fuga espetacular do Japão. Foi ao ar na GloboNews. Valeu.

Para as fantasias indigentes usadas pelos participantes do “Jogo de panelas”, do “Mais você”. O quadro é simpático, mas para vestir aquilo… Melhor desistir de fantasia. O resultado é caído.

© 1996 – 2019. Todos direitos reservados a Infoglobo Comunicação e Participações S.A. Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem prévia autorização.

Comentários