Campina Grande registra foco de Aedes aegypti em 4% dos imóveis vistoriados

Campina Grande registra foco de Aedes aegypti em 4% dos imóveis vistoriados

Levantamento da Secretaria de Saúde de Campina Grande mostra que 4% das casas vistoriadas na cidade apresentam focos de infestação de Aedes aegypti. O índice é menor do que a pesquisa anterior, quando esse era de 4,4%, mas ainda é considerado alto pelas autoridades de saúde.

Os agentes de combate às endemias realizaram o levantamento em 8.162 imóveis em 63 bairros ou localidades da cidade. Uma curiosidade diagnosticada foi a disparidade dos resultados entre dois distritos que ficam em extremos da cidade. O distrito de Galante apresentou o maior índice (9%) e São José da Mata teve o menor resultado (1,1%).

O Ministério da Saúde considera que a partir do índice 4% há um alto risco de proliferação e transmissibilidade das doenças provocadas pelo mosquito, como dengue, zika e Chikungunya. Do total de bairros visitados, 29 apresentaram alto risco e 34 apresentaram índice médio. Nenhum bairro apresentou baixo risco.

A maioria dos focos foi encontrada em reservatórios no chão, como cisternas, tonéis, caixas d’água no solo, baldes, bacias, vasos, garrafas e lixo. Isso demonstra, ainda de acordo com a Secretaria, que há a possibilidade desses focos serem eliminados se a população colaborar.

Confira a publicação original

Facebook Comments