A industria da beleza está a todo instante investindo e pesquisando novas maneiras de facilitar os tratamentos estéticos e possibilitar diversas formas de atingir um mesmo objetivo. Portanto, se você, assim como a maioria das mulheres, se incomoda com algumas gordurinhas em locais indesejados, mas não se sente confortável para encarar uma cirurgia plástica, a criofrequência pode ser a opção perfeita para você.

Basicamente, a criofrequência é um tratamento que combina radiofrequência com frio. A baixa temperatura é responsável pela destruição das células de gordura, assim como a estimulação da produção de colágeno e elastina. Portanto, além de ser eficiente para reduzir gordura localizada, ela também pode ajudar no combate às rugas.

O tratamento é muito simples. Basicamente o aparelho de criofrequência emite ondas de radiofrequência que penetram na pele, até à derma. Essas ondas provocam um aumento da temperatura. Dessa forma, estimulam uma maior produção de colágeno e elastina, que conferem melhor elasticidade para a pele. E mais, esse aparelho também esfria a camada superior da pele, a epiderme, até uma temperatura de -10ºC. Portanto, causa a destruição das células de gordura.

Na maior parte dos casos, os aparelhos de criofrequência podem funcionar apenas com a produção de frio, combinada com a radiofrequência. Dessa forma, causa o efeito de lifting na pele, ou seja, a deixa mais firme.

Para obter bons resultados com a criofrequência, é importante que o local a tratar seja dividido em pequenas áreas. O local a ser tratado deve ter no máximo 10×20 cm. Dessa forma, o aparelho será deslizado várias vezes, por 3 a 5 minutos em cada área.

Se o aparelho for monopolar (com apenas uma ponta), é necessário colocar uma placa de metal debaixo da pessoa. De modo que esta fecha o campo de emissão da radiofrequência. Mas se a ponteira for bipolar (com duas pontas), não há necessidade da placa de metal, sendo apenas usado o aparelho diretamente sobre a pele.

Sabe aquela gordurinha localizada que não sai nem com exercícios? Pois então, a criofrequência é capaz de acabar até com elas.. Tudo isso através de um método seguro, não invasivo e o melhor: com resultado imediato.

A gordura localizada é, sem dúvidas, um dos maiores pesadelos da maioria dos brasileiros. Por isso a criofrequência se tornou tão rapidamente, a queridinha dos famosos.

Os choques térmicos e o calor interno provocado pela radiofrequência quebra a gordura de reserva dentro da célula adiposa, passando de triglicerídeos a ácidos graxos e gliceróis, processo conhecido como Lipólise.

Em seguida, a célula adiposa “expulsa” a gordura que acaba sendo “consumida” pelo corpo como fonte de energia. Assim, ela é facilmente queimada durante uma atividade física, por exemplo.

A eliminação da gordura localizada não é o único talento da criofrequência. Esse tratamento também é capaz de reduzir também aquele aspecto indesejado de flacidez.

Sabe aquela famosa gordurinha do “tchau”? Essa região do tríceps incomoda muita gente e é bem difícil de ser eliminada, até mesmo para quem é magro. Mas não se desespere, há solução!

O frio da criofrequência contribui no controle do edema (inchaço). Por outro lado, o choque térmico gera uma tensão instantânea na pele, criando um efeito desintoxicante que aumenta os níveis de oxigenação dos tecidos e dilata os vasos sanguíneos que irrigam a pele. Assim, já desde a primeira sessão, produz-se um lifting instantâneo, progressivo e duradouro.

Do mesmo modo, o colágeno produz sua desnaturação através do calor interno de até 60 graus. Dessa forma, o corpo responde produzindo novas fibras de colágeno.

A criofrequência NÃO causa queimaduras na pele, apesar de ser feito em temperaturas extremas. Isso porque o cabeçote conta com um resfriamento que torna a aplicação completamente indolor.

Essa é uma das maiores vantagens da criofrequencia:  a sua versatilidade. Através desse método é possível tratar a flacidez. Além disso, é possível, também, obter o máximo de resultado para flacidez e gordura localizada na mesma sessão.

Quanto falamos de sua versatilidade, isso inclui também as partes do corpo. De forma que é possível fazer um tratamento facial e corporal completo. A Criofrequencia consegue obter excelentes resultados até mesmo em áreas quase impossíveis de se exercitar. Por exemplo na papada, aquelas gordurinhas entre axilas e seios e gordura do “tchauzinho”.

De acordo com os profissionais da área, a quantidade de sessões de Criofrequência deve ser indicada após uma avaliação individual do paciente. Sobretudo, em geral, são feitas 6 sessões por região.

Outro beneficio é a agilidade, cada sessão dura em média de 30 minutos. Em relação ao intervalo entre as sessões, depende do objetivo do tratamento, mas podendo ser semanalmente ou em até 21 dias.

Como já ressaltado, o objetivo terapêutico a ser alcançado depende de quais camadas da pele a onda atinge. Portanto, existem diversos tipos de tratamentos, sendo eles:

Nesse caso, é utilizado um aplicador monopolar e uma frequência mais baixa, para a gordura localizada, fazendo com que a onda atinja a hipoderme.

Para celulite e flacidez tissular corporal, o mais ideal é o aplicador multipolar, ou seja, com vários polos. Nesse caso, a frequência pode ser intermediária.

Já para o rejuvenescimento facial, linhas de expressão e rugas, é usado um aplicador multipontas também, geralmente bipolar pela ergonomia de se adaptar à face. No rosto, pode ser feito o tratamento de papada. Quando o equipamento permite, é colocado uma frequência menor para atingir gordura ou uma frequência maior para atingir a derme e estimular a produção de colágeno e elastina.

Comentários