Já parou pra pensar se tudo
girasse em torno das ciências exatas? o processo de emagrecimento teria uma
clareza genuína. Era só se exercitar mais e consumir menos calorias e o
emagrecimento surgiria como passe de mágica. Pois bem, na prática não é tão
simples assim, quantas vezes você diminuiu as quantidades do que consome, fez
escolhas com boas qualidades nutricionais, está frequentando mais a academia e
o emagrecimento não está acontecendo, pois é, muitas vezes a conta não fecha,
não é mesmo?

A correria do dia a dia, as
cobranças que tudo tem que ser resolvidos para ontem, deram espaços para a
praticidade, praticidade essa que leva ao consumo de alimentos impensados,
práticos, porém com um valor nutricional defasado.

E de fato o estado emocional
interfere no emagrecimento, sim. Diversas vezes a pessoa movido pela as emoções
levam a fazerem escolhas prazerosas momentâneas, deixando o organismo mais
suscetíveis ao desiquilíbrio no sistema hormonal e dando uma sobrecarga ao
metabolismo.

Isso por que, emagrecer submerge
uma série de motivos. Alguns bem populares como dietas da moda, sedentarismo e
alterações hormonais como (insulina, níveis de testosterona, fatores genéticos,
tireoide, etc.)

Um indivíduo no estado deprimido
sente-se uma necessidade de comer constantemente, por que essa ação traz
conforto momentâneo, que está ligado aos neurotransmissores do bem estar, sendo
assim aumenta a oferta de alimentos açucarados, e por sua vez um indivíduo no
momento de ansiedade tende a comer mais e sem ter essa percepção.

Já quem lida com o estresse,
tendem a ter um aumento do hormônio cortisol, ou seja, o hormônio é aumentado
na corrente sanguínea elevando os níveis de insulina, induzindo ao aumento da
gordura abdominal.

Grande parte das pessoas que trava
a batalha para se manter no peso e evitar o aumento, não estão por excesso de
fome e sim pela a vontade de comer. Não comem por uma questão fisiológica, e
sim pela sensação de prazer ou pela “compensação” que o alimento traz,
adquirindo até transtornos alimentares.

Que comer é bom ninguém tem
dúvida. Por questão hormonal essa ação faz o corpo aliviar e eleva a sensação
de bem estar. Além do mais, as melhores comemorações acontece em torno de uma
mesa farta. Porém, pode ser um problema para quem está passando por algum
problema emocional e exagerar nas quantidades pode se tornar uma válvula de
escape.

2.Rejeite a mentalidade de esta
de dieta, o simples fato de achar que tem que seguir uma dieta, eleva a
cobrança e pode te frustrar, deixando os níveis hormonais alterados;

3.Faça as pazes com a comida,
assim, como toda mudança demanda tempo, no processo de emagrecimento também é
assim, respeite o tempo e se parabenize a cada pequena alteração;

Comentários