Endocrinologista alerta para a importância da aplicação correta da insulina: “Temporário ou por toda a vida”

Endocrinologista alerta para a importância da aplicação correta da insulina: “Temporário ou por toda a vida”

Levando em conta o número de diabéticos no Brasil e no mundo, que infelizmente só vem aumentando, é mais do que necessário que falemos sobre esse hormônio que é fundamental para essas pessoas: a insulina.A insulina é uma substância produzida pelo nosso corpo quando ingerimos algum alimento que contenha carboidrato, seja doce ou salgado. 

A insulina NPH é uma medicação que simula uma das substâncias do nosso corpo e foi desenvolvido para a manutenção da glicemia estável no período entre as refeições, ou seja, ela serve para tratar os níveis de glicose no sangue. Como única representante das insulinas de ação intermediária, a NPH começa a agir entre 1 a 2 horas, em média, atingindo o seu pico de efeito entre 4-12 horas, podendo durar de 8 a 18 horas, embora, tem se observado uma duração de mais ou menos 8 horas e, nesse caso, ela precisa ser aplicada 3 vezes por dia. Este é o tipo de insulina mais comum e mais usado pelos brasileiros.

Trata-se de uma medicação que, por conter dentro dela uma substância leitosa, na hora do uso ela precisa ser movimentada de forma lenta, em torno de 20 vezes, para se homogeneizar, sendo aplicada em seguida conforme a dosagem adequada para cada caso. Se a dose aplicada for em excesso, a glicemia cai tanto que o paciente perde a consciência, podendo entrar em parada cardíaca.

Há outros tipos de insulina, como por exemplo a insulina Degludeca, que é indicado para o tratamento do diabetes mellitus em adultos, adolescentes e crianças com mais de 1 ano de idade, podendo ser usada em combinação com antidiabéticos orais, assim como outras insulinas de ação rápida. Além disso, a insulina degludeca é mais flexível com o horário, ou seja, o paciente não precisa ter necessariamente um horário fixo, ele pode aplicar no horário em que acordar, seja mais cedo ou mais tarde, e isso facilita a aplicação– Explica a Dra. Gabriela Iervolino, médica endocrinologista.

Cada vez que ingerimos glicose, ou seja, alimentos que viram açúcar no sangue como doce, pão, arroz, massas entre outros, nosso corpo libera automaticamente a insulina, porém, há aqueles pacientes que não conseguem libera-la naturalmente, então é usada a insulina NPH ou outra insulina de longa ação que serve para tratar o diabetes, e quando a sua glicemia está muito alta ela ajuda a colocar a glicose dentro das células. Esta insulina serve tanto para o início do tratamento, quando paciente está muito descompensado (mas não necessariamente você vai usá-la pelo resto da vida), ou quando o paciente tem falência do pâncreas e, nesse caso, o paciente fará uso durante toda a sua vida – alerta a Dra. Gabriela Iervolino.

Confira a publicação original

Facebook Comments