“A Psiquiatria de hoje é absolutamente decadente, uma porcaria”, a opinião é do médico psiquiatra Guido Palomba, um dos maiores especialistas da área do Brasil. Ele fez palestra ontem no 14º Congresso Médico Científico (Comec), organizado por estudantes do Centro Acadêmico do curso de Medicina da Universidade Metropolitana de Santos (Unimes).

Para Palomba, houve um domínio da indústria farmacêutica sobre os profissionais, principalmente na última década. Com a pressão para dar remédios, o diagnóstico é deturpado, diz o especialista, que cita a depressão.

“Se morrer um cachorro e a pessoa tem a desgraça de ir a um psiquiatra mal formado, sai de lá tomando antidepressivo. Hoje se dá antidepressivo para parar de fumar, para engordar, emagrecer, para tensão pré-menstrual e até se a pessoa estiver triste”.

Palomba pontua que é impossível ficar alegre o tempo todo. “A pessoa está sem dinheiro, brigou com namorado e está dando risada? Essa, sim, precisa internar. Se vende hoje mais antidepressivo do que Hipoglós (pomada para assadura)”.

O Comec aconteceu nos últimos dois dias e trouxe diversos especialistas para troca de experiências e conhecimentos na área de Saúde. Foram palestras, discussões e difusão do conhecimento científico da área da Saúde.

Ainda ontem, o mais renomado médico clínico do País, Antonio Carlos Lopes, falou da importância do atendimento humanizado, de ouvir o paciente não só sobre os sintomas, mas sobre a vida dele. Tudo isso ajuda no diagnóstico de doenças que muitas vezes os exames não identificam, diz Lopes.

Outro profissional que fez parte do evento foi o ginecologista o obstetra José Bento de Souza, que falou sobre saúde da mulher. “O importante é a prevenção. A mulher precisa de atividade física, dormir e comer adequadamente. E fazer exames para detecção precoce de doenças”.

Comentários

Você não precisa sofrer pra fazer dieta.

entre para o Desafio 19 dias