Jovem fundador de método de emagrecimento é promessa para psiquiatria no Brasil

Acadêmico do curso de medicina, o jovem Márcio Mattos Ferreira tem chamado atenção do mercado e do público interessado pelo estilo de vida saudável antes mesmo de se formar. Com apenas 25 anos e a caminho de se especializar em psiquiatria, Márcio já foi presidente da liga de psiquiatria da faculdade aonde estuda, foi convidado a participar de congressos internacionais de neurociências e também para desenvolver projetos para o público de uma famosa marca da indústria do healthy lifestyle.

Mineiro de Governador Valadares, Márcio Mattos sempre estudou a relação entre saúde mental e alimentação por ter percebido a forte influência de um sobre o outro. Manteve-se atuante em todas as atividades e cursos que encontrou pela frente sobre a dinâmica entre a saúde do corpo e da mente, passou a realizar pesquisas acadêmicas a respeito, até que a saúde física, mental e sua relação com o emagrecimento se tornaram sua grande paixão.

Fortemente determinado a focar sua carreira nessa área, Márcio Mattos e mais três acadêmicos da medicina, atualmente já médicos formados, desenvolveram uma metodologia de emagrecimento para ensinar as pessoas a se alimentarem para alcançar seus objetivos, a cuidar de sua saúde mental e seu corpo – o Método Hüman. Daí a despontar como referência no assunto foi um pulo. Hoje, com mais de 45 mil seguidores em seu Instagram pessoal, Márcio Mattos já contribuiu com o emagrecimento de mais de 10 mil pessoas, e o mais importante, segundo ele, oferecendo o “caminho das pedras” para manter o novo corpo para o resto da vida, sem precisar depender de mais ninguém para isso. A reportagem conversou com ele em primeira mão.

O Método Hüman reúne uma série de protocolos de equilíbrio da saúde mental e física que vão ensinar a pessoa a se alimentar de forma consciente e a manter sua mente e suas intenções alinhadas ao seu objetivo físico. A pessoa passa por uma consultoria online antes de iniciarmos o processo para que possamos entender seu histórico de saúde, se toma ou não alguma medicação, seu objetivo com a consultoria e, a partir daí, começamos um programa baseado naquilo que existe de mais avançado e moderno em termos de alimentação, saúde física e mental. Se quer emagrecer, por exemplo, a pessoa vai aprender como o corpo funciona para poder emagrecer, que tipo de alimentos ela precisa comer, como, em quais horários, mas a liberdade e a autonomia são preservadas…Eu, pessoalmente, junto com os demais fundadores, Dr. Lucas Mattos, Dr. Aurélio Relíquias e Dr. William Araújo, ensinamos tudo isso à pessoa, e não passamos um “plano” que ela precisa repetir todos os dias, porque aí ela tem autoridade sobre o corpo dela. Quando ela aprende, ninguém mais tira esse conhecimento dela, isso é o que achamos mais importante.

Leia também  Diário de Maria: «O meu marido está sempre a deitar-me abaixo»

Conversando com três amigos, hoje formados em medicina, percebemos que, em nossas experiências nos estágios, as pessoas enfrentavam um problema em comum: muitas diziam seguir uma dieta acompanhada, mas não conseguiam emagrecer. Começamos a investigar e descobrimos que, de forma geral, as dietas prescritas eram totalmente desalinhadas das evidências científicas mais modernas. Infelizmente, pagar um profissional para prescrever toda sua alimentação não deixou essas pessoas isentas de comerem mal, atrapalhando seus objetivos. Dietas lotadas de produtos diet, light, biscoitinhos pouco calóricos, barras de cereal, excesso de frutas, farinhas, tudo isso unido à restrição calórica e ao medo da gordura, que é essencial como precursora de vitaminas e hormônios importantíssimos para o metabolismo. Foi aí que começamos a usar nossas redes sociais para ensiná-las a se conhecer, a escolher corretamente aquilo que comem, mas com vontade, com intenção, sem se sacrificar e sem se afastar de seus objetivos de saúde física e mental. Isso de forma sistematizada, com ferramentas para colocar esse conhecimento em prática, sem precisar depender de um profissional prescrevendo sua alimentação pela vida inteira, e assim surgiu o Método Hüman.

Tudo foi definido segundo as mais modernas e consistentes evidências científicas a respeito do funcionamento do corpo e alimentação. Uma das referências, por exemplo, foi um estudo extenso e extremamente relevante realizado no início da década de 90 sobre tópicos da saúde da mulher, o Women’s Health Initiative (WHI). Foram cerca de 20 mil mulheres escolhidas aleatoriamente se alimentando de uma dieta rica em fibras, frutas, vegetais e pobre em gorduras, com um déficit calórico diário de 360 Kcal. Surpreendentemente para a maioria das pessoas, após oito anos seguindo essa dieta as mulheres perderam em média apenas 1Kg! Esse e inúmeros outros estudos mostram que o déficit calórico e a retirada da gordura da alimentação levam a uma perda de peso muito menor do que o esperado. Enquanto, em contrapartida, costuma trazer aumento da sensação de fome, falta de energia e frustração pela privação de alimentos que traziam prazer. Por esse motivo, a base alimentar usada para criarmos o Método Hüman foi a alimentação paleo, mas o método vai muito além da alimentação.

Leia também  Dez questões sobre o jejum intermitente que te ajuda a emagrecer

A obesidade é uma doença multifatorial, ou seja, é uma condição resultante da combinação  de inúmeros fatores. Não se pode dizer que uma pessoa é obesa apenas por sua má alimentação. Deve-se levar em conta todo seu estilo de vida, hábitos, pensamentos, desejos e por aí vai. O ato de comer está extremamente ligado ao emocional, as refeições têm valor sentimental, afetivo e social e, quando a mente está em desequilíbrio, isso se reflete diretamente na alimentação. Não falo somente do comer por ansiedade, como tanta gente diz, mas de relações mais profundas que ficam no anonimato por anos, reforçando uma relação doentia com a alimentação que, em muitos casos, a pessoa passa a vida inteira sem descobrir. E é justamente essa compreensão que o método Hüman traz, com ferramentas específicas para isso.