Victor Machado é nutricionista, pós-Graduado em nutrição esportiva e em nutrição Comportamental. Atua com foco em comportamento alimentar e é o idealizador da marca Nutrição Sincera, que tem como objetivo passar informações sobre saúde, alimentação e bem-estar por meio do humor.

Muito se fala sobre encontrar alimentos ideais para o emagrecimento e quais devemos evitar para não ganhar peso. No Brasil, estamos há vários anos tentando desvendar formas de evitar engordar, ficando distante dos tais “alimentos que engordam”.

De acordo com os dados da Abeso (Associação Brasileira para o Estudo da Obesidade e da Síndrome Metabólica), o Brasil apresenta cerca de 55% do população com excesso de peso e aproximadamente 20% com obesidade.

Ao mesmo tempo, desde o ano 2000 até os dias atuais, em que o acesso a internet vem se expandindo, temos cada vez mais informações sobre alimentação e saúde, mas ainda assim, de acordo com o Vigitel, mais de 55% da população apresentava excesso de peso. Portanto, mesmo com acesso a mais informação, a incidência do sobrepeso e obesidade vêm aumentando.

O que explicaria esse fenômeno? São muitos fatores envolvidos na história da nutrição e não dá para resumir tudo em uma causa só, mas talvez a forma dicotômica como enxergamos os alimentos possa ter algum alguma relação. Ou seja, concluirmos que existe um alimento certo e um alimento errado.

A verdade é que alimentos são apenas alimentos e não têm a capacidade de emagrecer ou engordar uma pessoa da noite para o dia de forma isolada. É claro que existem os alimentos considerados mais saudáveis e aqueles que devemos evitar consumir com muita frequência. Mas o fato é que essa dualidade que utilizamos para enxergar a comida gera um impacto emocional que entra em conflito com nossos valores. Quando como uma comida certa estou emagrecendo, mas quando como uma comida errada engordo.

Não existe alimento certo ou errado, só existe comida e precisamos levar em consideração o contexto em que estamos comendo. Podemos comer um brigadeiro sem exageros quando estamos tendo um momento feliz com nossos familiares e isso não necessariamente está te engordando, mas sim te trazendo o bem-estar de estar com quem você ama.

Ao mesmo tempo, comer um prato de salada não tem a simples e única função de emagrecer, mas envolve também fornecer nutrientes que precisamos para a saúde.

A sugestão é que façamos escolhas que venham de dentro da gente e não só do que dizem que devemos fazer de forma obrigatória. Vegetais e frutas podem fazer parte da nossas vidas fornecendo nutrientes necessários para nossa saúde intestinal, assim como um brigadeiro pode ser necessário para te trazer afetividade em uma festa de aniversário. E nos dois casos estamos tendo saúde, não só física, mas também mental.

Se enxergamos os alimentos além da sua forma isolada, mas também no contexto em que eles estão inseridos, conseguiremos ter uma relação melhor com eles e chegaremos no equilíbrio.

Conseguindo, dessa forma, comer de tudo mantendo um peso com o qual você se sinta bem consigo mesmo, física e emocionalmente. Vamos aprender a comer de tudo sem julgar nenhum alimento.

Comentários