O segredo do emagrecimento: Disciplina ou milagre?

Na busca do corpo perfeito muitos tentam as mais estranhas receitas para perder peso. Nutricionista dá dicas que ajudam a ter uma rotina saudável e com resultados permanentes.

Alguns levam anos lutando contra a balança, na tentativa de perder peso eles tentam diversas as dietas e truques que prometem milagre, às vezes, até dão certo, mas os resultados duram pouco tempo. Qual o motivo de tanta frustração? Qual o segredo para a perda de peso? A nutricionista Fabiana Dellay Silva foi direta em dizer que não existe ‘milagre’ para isso, tampouco há uma dieta universal para ser seguida por todas as pessoas. A profissional deixou claro que para conseguir alcançar o peso desejado requer esforço continuo envolvendo uma rotina de alimentação saudável equilibrada com exercícios físicos. Fácil? Não! Mas é um esforço que promoverá mais qualidade de vida e, consequente será possível alcançar o peso ideal. Por exigir esforço e disciplina, muitas pessoas preferem ficar acomodadas a ter que deixar a preguiça de lado para empreender uma rotina mais ativa e saudável.

No Brasil cerca de 41% da população está acima do peso ideal, e os remédios para emagrecer são uma tentação tão grande que 1,6 milhões de brasileiros, a maioria mulheres, já fizeram uso de alguma fórmula para acabar com a fome e eliminar os quilos extras rapidinho. O problema é que existem riscos em apostar nessas pílulas. Na prática médica, não existe consenso sobre o uso de drogas antiobesidade. A principal recomendação é de que sejam prescritas apenas quando o excesso de peso adiciona risco à saúde do paciente ou é responsável por alguma doença associada, como diabetes. Entretanto, muitos apelam para o recurso quando estão alguns quilos acima do ideal. Não por nada, o Brasil é campeão mundial no consumo de anfetaminas (remédios tarja preta), segundo um relatório da Organização das Nações Unidas (ONU). A nutricionista conta sobre os riscos envolvidos no uso desses medicamentos “O problema é que esses medicamentos, além de reduzir a fome, provocam dependência química e podem levar à morte. São comuns reações desagradáveis como tremedeira, taquicardia, insônia, hipertensão e boca seca, entre outros. Mais: tão rápido quanto emagrecer à base dos também chamados anorexígenos é voltar a engordar”, explica.

Leia também  Perda de peso: nutricionista aponta estratégias para não cair no temido efeito sanfona

Para Fabiana, o segredo para perder e manter o peso é manter a rotina de hábitos saudáveis que envolvem alimentação e exercícios. A profissional alerta que ate mesmo quando se perde peso de forma saudável, é possível voltar a ganha-los novamente se não houver a continuidade dessa rotina, por isso ela reforça a necessidade de modificar o estilo de vida. Nem sempre será fácil mudar hábitos, mas uma vez aprendidos devem seguir sendo colocados em prática. “É fundamental modificar o estilo de vida a longo prazo. Sair da zona de conforto gera resistência, é muito difícil mudar hábitos alimentares. É preciso aceitar que a mudança é necessária, e a consciência de que resultados imediatos não vão acontecer”, afirma.

Para quem não quer seguir o caminho mais fácil e deseja investir na reeducação alimentar, Fabiana aconselha a abandonar alimentos muito processados e industrializados, e investir numa alimentação mais colorida. “Aumente e varie o consumo de frutas, legumes e verduras. Elas são ricas em vitaminas, minerais e fibras. As vitaminas e minerais colaboram na manutenção e no bom funcionamento do organismo. E as fibras regulam o funcionamento intestinal, dão sensação de saciedade, e podem atuar prevenindo várias doenças. Varie os tipos de feijões usados e as formas de preparo. Use também outros tipos de leguminosas como soja, grão-de-bico, lentilha. Reduza o consumo de sal. O sódio é essencial para o bom funcionamento do organismo, mas o excesso pode levar ao aumento da pressão do sangue (hipertensão), e outras doenças. Evite temperos prontos, alimentos enlatados e embutidos. Use ervas frescas para realçar o sabor. Reduza o consumo de alimentos gordurosos, como carnes com gordura aparente, salsicha, mortadela, frituras e salgadinhos. Prefira os alimentos cozidos ou assados, leite e iogurte desnatados e queijos brancos. Beba água! Muita água! 60% do nosso corpo é formado por água! Portanto, beba em média 2 litros de água (6-8 copos) por dia. Evite bebidas alcoólicas e refrigerantes fornecem: 1ml de álcool fornece 7kcal. Prefira sucos de fruta fresca ou polpa congelada”, recomenda.

Leia também  7 ações que podem ajudar a controlar a pressão alta de forma natural

A população está sempre exposta a alimentos gordurosos, pré-prontos, embutidos e enlatados e de fácil preparação e é tentador recorrer a esse tipo de alimentos, principalmente devido a correria do dia a dia, porém esse tipo de alimentação não possui nenhum valor nutricional. Manter distância desse tipo de alimento deve ser um cuidado tomado durante toda a vida, além de ser um habito que deve ser ensinado e introduzido nas crianças desde bem cedo. “A alimentação não se resolve em uma semana. O cérebro leva cerca de 20 dias para entender que estamos mudando nossa rotina. Os hábitos alimentares e atividade física se adquire com constância e persistência e é uma questão de tempo, para entrar na rotina, procure segui-los diariamente. E os pais devem ser ors primeiros a dar exemplos aos filhos, porque a boa alimentação deve ser feita não apenas para perder peso, mas para manter uma vida saudável.”, conclui Fabiana.

O Procon de Santa Catarina notificou, dia 1 de outubro, empresas que vendem emagrecedores supostamente naturais e determinou a retirada de anúncios para comercializar os produtos. Os alvos da medida cautelar são fabricantes, vendedores e fornecedores, mas também atinge plataformas, sites e redes sociais onde esses medicamentos são vendidos sem qualquer controle.

A medida cautelar se baseou na rede de comércio ilegal, na facilidade para se encontrar e comprar emagrecedores pela internet. Em quatro produtos de marcas diferentes foram adquiridos e analisados pelo Instituto Geral de Perícias de Santa Catarina (IGP), os exames provaram que os emagrecedores não eram feitos à base de ervas, como diziam as propagandas e vendedores. A perícia apontou a presença de substâncias químicas controladas, como a sibutramina, utilizada para tratamentos graves de obesidade, o diazepam, usado no tratamento de ansiedade, e o clobenzorex, uma anfetamina.