Um dos serviços mais úteis para você e sua família é o planejamento alimentar. Ele deve ser executado por um nutricionista, profissional habilitado para mensurar a quantidade de nutrientes que uma pessoa pode e deve consumir diariamente, conforme as necessidades individuais. Outro objetivo do planejamento alimentar é contribuir para  o emagrecimento e a qualidade de vida de uma pessoa, especialmente se ela tiver alguma restrição em relação a um tipo de alimento – glúten, açúcares etc. “É uma estratégia individual, é aquilo que a pessoa precisa naquele momento de vida, conforme sua rotina e conforme o quanto ela está disposta a fazer esse planejamento”, observa a nutricionista Luanna Caramalac, formada em modulação intestinal e biofísica quântica pela Universidade para o Desenvolvimento do Estado e da Região Pantanal (Uniderp). 

Nessa entrevista exclusiva ao Diário do Nordeste, a especialista, que também é Pós-graduada em nutrição clínica funcional – VP, adequação nutricional e manutenção da homeostase – prevenção e tratamento de doenças, detalha os benefícios que o serviço de planejamento alimentar pode trazer para você e sua família. 

Luana Caramalac: priorizar a comida de verdade, evitando tudo que é inflamatório para o organismo. Foto: Divulgação

Diário do Nordeste: De que forma o planejamento alimentar pode contribuir para o emagrecimento e a qualidade de vida de uma pessoa ou de uma família? Luanna Caramalac: O planejamento alimentar é individual, é elaborado de acordo com as necessidades  individuais. Por isso a gente traça uma estratégia de acordo com o que aquele paciente precisa no momento, as quantidades e os alimentos que ele pode ou não consumir, se ele vai ter restrições ou não, se vai fazer um jejum intermitente – que auxilia no emagrecimento –, se vai comer de 3 em 3 horas, se ele vai retirar apenas os alimentos que estão realmente causando inflamação intestinal, e isso já vai ajudar. É uma estratégia individual, é aquilo que a pessoa precisa naquele momento de vida, conforme sua rotina e conforme o quanto ela está disposta a fazer esse planejamento, porque isso conta muito.

O que a pessoa/família deve levar em conta na hora de fazer o planejamento alimentar? O que deve ser levado em conta, visando uma mudança de estilo de vida e emagrecimento, é priorizar a comida de verdade, evitando os farináceos, as farinhas brancas, a farinha de trigo, o açúcar, tudo que é inflamatório  para o organismo. Evitar industrializados, aumentando a quantidade de vegetais e legumes, dando prioridade por consumi-los antes da refeição principal para gerar saciedade no organismo, além de aumentar a ingestão de água. Isso é fundamental, porque muitas vezes o que a pessoa sente é sede, não fome. 

Que itens não podem deixar de constar e quais não devem entrar nesse planejamento? O que não pode deixar de constar é realmente comida de verdade: folhas, legumes, água, frutas, proteínas de boas fontes, ovo, carne vermelha, carne branca – para quem não tem restrição a esses itens – , carboidratos complexos (batata doce, mandioca, batata, mandioquinha, inhame). E o que temos que evitar ao máximo são os industrializados, porque são calorias vazias, não possuem nutrientes para o nosso organismo, como açúcares e farinha de trigo. 

No caso das crianças, que outras preocupações devem fazer parte desse planejamento? Geralmente elas gostam muito de refrigerante, docinhos, biscoitinhos, muitos industrializados. É tentar fazer trocas saudáveis, tentar fazer receitas funcionais. É possível fazer deliciosos bolos e cookies saudáveis, opções salgadas, pizzas saudáveis… É preciso fazer essas trocas para que a criança perceba que comer de forma saudável não precisa ser ruim. Ela vai crescendo e se educando que uma alimentação saudável pode ser prazerosa.

É válido aquele princípio de que “no fim de semana pode”, no caso do consumo de doces e guloseimas? Isso depende muito de cada um. Se o indivíduo está buscando a estratégia de emagrecer, tem que ter cuidado no fim de semana, para que o pensamento de que “hoje pode” não domine e ponha a perder tudo o que conquistou ao longo da semana. Lembrando sempre que a saúde vem em primeiro lugar. Se eu começo a sair fora da dieta na sexta-feira e termino no domingo à noite, primeiro que eu vou perder saúde, porque estarei jogando fora tudo o que fiz na semana, e consequentemente se eu tenho objetivo de emagrecer, isso com certeza vai  atrapalhar. A exceção pode ser prejudicial. É importante lembrar qual é o objetivo e qual é a quantidade diária necessária de nutrientes. Porque muitas vezes a pessoa faz a exceção só no sábado, mas no mesmo dia come em grande quantidade, e isso faz diferença.Saiba mais Veja dicas práticas para uma alimentação saudável: . Separe um tempo na agenda para as compras semanais, sobretudo de frutas e verduras;  . Sempre que possível, dê preferência aos produtos orgânicos e de época. Mantenha-os visíveis, limpos e prontos para o consumo; . Congele pequenas porções temperadas (com cebola, alho e outros temperos naturais) de carne e de frango; . Tenha sempre ovos (preferencialmente caipiras) na geladeira. São saudáveis, baratos e práticos; . Para quem toma suco verde, vermelho ou amarelo, separe os ingredientes em saquinhos e deixe no congelador. Depois, é só bater com água; . Prepare kits com oleaginosas (castanhas, nozes e amêndoas);   . Nos lanches, aposte em frutas práticas de carregar, como bananas, maçãs, peras, goiabas, uvas etc. Em casa, dê preferência para as de corte, como melão, melancia, mamão, abacate e laranja; . É essencial ter tempo hábil para comer com calma. Estudos apontam que alimentar-se fazendo outra coisa, como mexer no celular, pode aumentar o consumo em até 30%.

Todos os direitos reservados. Conteúdo protegido pelas leis de propriedade intelectual e de direitos autorais. O conteúdo não pode ser republicado, reescrito ou redistribuído, sob pena de responsabilização do infrator no âmbito cível e criminal.

Comentários