Quantos quilos você pode perder por semana sem prejudicar a saúde? – Diário Online

Com a chegada do fim do ano, surge também uma motivação em perder aqueles quilinhos extras. Muitos recorrem a dietas que prometem emagrecimento repentino e em poucos dias. Mas, afinal, até quantos quilos um indivíduo pode perder semanalmente sem comprometer sua saúde?

Segundo Thaiz Brito, nutricionista pós-graduanda em Nutrição Esportiva Clínica, “quando falamos em emagrecimento saudável, é necessário esquecer essas dietas da moda ou estratégias mirabolantes que prometem eliminar muitos quilos em um curto espaço de tempo. O Ministério da Saúde frisa a importância de acompanhar o que pode estar relacionado a comportamentos de risco para transtornos alimentares, inclusive práticas famosas, como restringir calorias severamente ou pular e espaçar muito as refeições”.

Ainda de acordo com ela, o aumento da atividade física, por sua vez, é o verdadeiro aliado de uma perda de peso bem-sucedida, quando aliado à alimentação balanceada. Isso porque o exercício aumenta o gasto calórico e colabora na manutenção da massa magra.

Emagrecer ou engordar é resultado de uma matemática simples. Quando o indivíduo engorda, provavelmente ingere mais calorias do que gasta. E vice-versa.

Por isso, para saber a quantidade de quilos que se pode perder por semana, a resposta seria: depende da composição corporal de cada um.

Para uma perda de peso saudável, é primordial que o indivíduo não dê adeus à massa magra e, sim, à gordura. Mais importante que o peso da balança é certificar-se que esses números a menos estejam direcionados ao tecido adiposo, e não ao músculo.

O peso a ser perdido depende da proporção de gordura e músculo de cada um. Em síntese, devemos preservar a musculatura e perder as gorduras.

Além disso, existe a taxa metabólica basal, que estima o gasto do nosso organismo para realizar suas funções básicas, como regular a temperatura corporal, manter os pulmões funcionando e o coração batendo. O gasto de calorias ao longo do dia é o somatório dela com as atividades extras do dia.

Leia também  Vigilância sanitária de Palmas apreende anabolizantes e medicamentos ilegais

Um fator que pode interferir positivamente é, novamente, a massa magra. Quanto mais massa muscular a pessoa tem, maior será a taxa metabólica basal, ou seja, um atleta queima mais calorias dormindo do que uma pessoa sedentária.

Dito isso, fica mais claro entender porque o emagrecimento sustentável está diretamente ligado à musculação. O peso da balança se torna pouco relevante quando temos por base que a pessoa está perdendo gordura numa proporção razoável ao ganho de músculo. Isso é mais importante do que “secar rápido” e de modo desenfreado, finaliza a nutricionista.