Categorias
Curiosidades

Se passou por gringo e cantava em inglês: curiosidades da carreira musical de Fábio Jr.

Quando se fala de como se consolidou a carreira de Fábio Jr. é impossível não associá-lo a canções românticas, mas algo que muita gente não sabe – ou não se lembra – é que ele começou sendo romântico em outro idioma.

Na década de 1970, a moda era cantar em inglês e usar nome artístico de gringo. Foi seguindo essa tendência que o jovem nascido Fábio Correa Ayrosa Galvão aderiu a uma identidade estrangeira e se passou por gringo para se jogar na carreira musical que o consagrou como grande nome para os apaixonados no Brasil.

Entre os pseudônimos usados pelo brasileiro estavam Mark Davis e Uncle Jack. Como Mark Davis, Fábio Jr. lançou a triste ‘Don’t Let Me Cry’, em homenagem para uma namorada que tinha morrido no histórico incêndio do edifício Joelma, em São Paulo, no ano de 1974.

Em entrevista ao site ‘Último Segundo’, em 2011, o cantor relembrou a fase de compor e cantar em inglês, que ele descreveu como “engraçada pra caramba”.

“A gente fazia show, saía todo mundo de óculos escuros, dizendo só “hi” para neguinho achar que éramos americanos mesmo”, contou ele, acrescentando que a composição era feita na base do dicionário mesmo “A gente sentava e fazia, pô. Era com dicionário na mão, ‘together?’, opa, rima com ‘forever’”, descreveu.

“As músicas explodiam mesmo! E não tinha nada de frustrante, para mim era o máximo. Pô, o rádio todo dia tocando Mark Davis, ‘Don’t Let Me Cry’, ‘I Want To Be Free Again’, ‘My Baby’, ‘Rain And Memories’. Tocavam direto no rádio”, relembrou.

Depois de estourar como falso cantor gringo, Fábio Jr. começou a transição para cantar em português. O primeiro passo foi escolher qual seria o nome artístico da vez.

“Para ir para a televisão cantando em português, tive que mudar de nome. Sou Fábio Galvão, mas tinha – e tem – um ator chamado Flávio Galvão, e o Caion Gadia, da Rádio Tupi Difusora, e o pessoal da gravadora disse: ‘Você tem que mudar de nome’”, narrou ele ao site. “Entrei numa crise existencial, mudar meu nome? Achamos Júnior e ficou”, completou.

A primeira vez como Fábio Jr. aconteceu em 1975, no programa semanal ‘Hallelujah’, da extinta TV Tupi. E foi ali que ele começou a assumir a veia romântica em português.

Naquele mesmo ano, o cantor gravou o primeiro compacto em português e, em 1976, já iniciou em outra parte de sua carreira: como ator. Foram mais de dez novelas, incluindo ‘Malu Mulher’, ‘Cabocla’ e ‘Roque Santeiro’, várias participações em seriados e três filmes, sendo o mais recente a comédia ‘A Sogra Perfeita’, que deve estrear no segundo semestre de 2020.

Sob o novo pseudônimo, a carreira de Fábio Jr. deslanchou e ele ficou famoso pelas canções ‘Só Você’, ‘Alma Gêmea’, ‘Caça e Caçador’ e muito mais.

1975: Mark Davis.
1976: Fábio Jr.
1979: Fábio Jr.
1981: Fábio Jr.
1982: Fábio Jr.
1984: Fábio Jr.
1985: Quando Gira o Mundo
1986: Sem Limites pra Sonhar
1988: Vida
1989: Fábio Jr. Ao Vivo
1991: Intuição
1992: Fábio Jr.
1993: Desejos
1994: Fábio Jr.
1995: Fábio Jr.
1996: Obrigado
1997: Só Você e Fábio Jr. Ao Vivo
1998: Compromisso
1999: Contador de Estrelas
2000: De Alma e Coração
2002: Fábio Jr. Acústico
2003: Fábio Jr. Ao Vivo
2004: O Amor é Mais
2006: Minhas Canções
2008: Fábio Jr. & Elas
2009: Romântico
2011: Íntimo
2012: Íntimo – ao vivo
2015: Fábio Jr.

1988: O melhor de Fábio Jr.
1991: Fábio Jr. Coleção de Sucessos
1993: Grandes Momentos Fábio Jr.
1996: Fábio Jr. com Amor
1997: O Melhor de Fábio Jr.
1997: Seus Maiores Sucessos
1998: Fábio Jr. Grandes Sucessos
1998: As Melhores
1999: Sem Limites Pra Sonhar
1999: O Essencial de Fábio Jr.
2000: Fábio Jr.
2000: 21 Super Sucessos
2001: 100 Anos de Música
2001: Grandes Sucessos
2004: Perfil
2005: Novelas
2005: Mais de 20 e Poucos Anos
2006: Maxximum

Comentários