Passar debaixo da escada, quebrar espelho, a má fama do gato preto… Muita gente acredita que todas essas coisas podem trazer um tremendo azar. Mas você, que se considera uma pessoa supersticiosa, já ouviu falar sobre todas as superstições que existem? Com a chegada da sexta-feira (13), o Gazeta Online listou treze delas abaixo.

1 – Dizer tchau em cima de uma ponte: essa é uma das superstições que rondam a sexta-feira 13 e, apesar de não ser muito conhecida, é muito curiosa. Ela diz que, ao se despedir de uma pessoa em cima de qualquer ponte, você nunca mais a verá. Apesar disso, não há uma explicação muito lógica para isso;

2 – Refeições para 13 pessoas: algumas pessoas acreditam fortemente que, se uma refeição for servida para 13 pessoas, a primeira que se levantar da mesa morrerá. Essa já tem uma ‘explicação lógica’: a ideia vem desde a época de Cristo que, durante a Última Ceia, este mesmo número de pessoas estava sentado à mesa;

3 – Derrubar sal é sinônimo de má sorte: na antiguidade, o sal era uma mercadoria valiosa e de difícil acesso e servia, também, para preservar alimentos. A ideia de que derrubá-lo traz má sorte teria sido inventada por comerciantes, que queriam evitar prejuízos. Existe, ainda, quem diz que, se você derrubar sal, deve jogar um pouco por cima do ombro esquerdo;

5 – Apontar para estrelas pode fazer com que verruga surja no seu dedo: é isso mesmo que você leu e, se você apontar e a verruga surgir, dizem que se você passar um pedaço de toucinho na verruga e jogar ela no formigueiro, misteriosamente ela desaparece! [dizem que vale para verrugas nascidas em qualquer lugar]

8 – Facas cruzadas sobre a mesa: acredita-se que essa superstição surgiu devido por meio dos judeus e muçulmanos, que migraram para Portugal fugindo da Inquisição Espanhola. Ao chegarem em solo português, foram obrigados a se converter ao cristianismo e, por isso, foram denominados “cristãos-novos”. Católicos por fora, mas judeus ou muçulmanos por dentro, eles mantiveram os seus costumes em segredo, acreditando que as facas cruzadas remetiam a uma cruz e, por isso, seriam um sinal de azar;