NITERÓI – Fãs de música eletrônica da Itália, da China e dos Estados Unidos já conhecem o trabalho de Carolina Martins. Mas por lá ela é The Kraken Music, nome artístico escolhido pela moradora de Pendotiba, uma referência à lula gigante que na mitologia nórdica aterroriza navegantes. Carolina é cantora de música pop eletrônica e está sempre ligada a diferentes atividades. Isso explica a escolha de uma figura cheia de tentáculos para lhe representar.

Carolina começou a estudar música aos 13 anos e, uma década depois, se lançou no mercado internacional. Hoje, aos 25, é sócia da gravadora italiana Universal Music Italy, pela qual lançou obras autorais. Em novembro, embarcará numa turnê passando por festivais do gênero nos Estados Unidos, com shows marcados em Nova York, Arizona, Nevada e Califórnia. No ano que vem, tem na agenda apresentações no Japão, na Malásia e está negociando ir para a China. Saiba mais Cantor e compositor, Theozin lança trabalho e busca seu lugar ao sol Editora que valoriza niterói Após carreira internacional, Marysa Alfaia escolhe Niterói para morar e prepara EP Bares temáticos caem no gosto do público com propostas diversificadas

— Eu fiz tudo isso de dentro de um quarto, em casa, e gravando em estúdio. Lancei músicas sem sair do Brasil. Apenas em 2016 fui à Itália assinar o contrato com a gravadora. Componho tudo aqui e agora estou começando a viajar por turnês para participar de festivais — explica a cantora, que descobriu na batida eletrônica o poder de transmitir (e receber) boas vibrações.

— O
feedback
que eu tinha era que as pessoas não gostariam de música em inglês sendo cantada por brasileiros. Também não é comum ter uma cantora em show de eletrônica; normalmente apenas um DJ comanda a festa. Não tenho referências disso por aqui. Então comecei lá fora, mas esse mercado está mudando. Temos o (DJ) Alok, que tem canções em inglês sendo brasileiro. É um avanço. No exterior, o retorno é positivo. Por isso acredito que, em breve, estarei fazendo shows em terras brasileiras.