Categorias
Música

Vanessa Auzier, A 'rainha' que vem conquistando os palcos manauaras

Manaus – Alegria. É assim que a amazonense Vanessa Auzier, apelidada carinhosamente de “Rainha” e “Ivete do Hileia” pelos fãs e amigos, define seus shows. A cantora canta de tudo um pouco durante as apresentações. Recentemente, ela gravou o primeiro CD e DVD ao vivo, no atlético Rio Negro Clube, no Centro de Manaus.

“A música na minha vida começou quando eu era muito nova. A lembrança de ver meu pai cantando e roubar o microfone dele porque queria cantar permanece viva em minha memória. Meu pai cantava em uma banda chamada Geração 2000. Eles tocavam vários ritmos, como forró, brega e o gênero conhecido aqui no Norte como ‘beiradão’. A partir daí, a paixão pela música só veio a crescer”, confessou a cantora.

Vanessa passou e estudar música clássica, aprendeu a tocar alguns instrumentos e, com 12 anos, a cantora entrou para a Orquestra do Liceu de Artes e Ofícios Claudio Santoro, da Secretaria de Cultura do Estado do Amazonas (SEC-AM). E com 15 anos, Vanessa criou um grupo com amigos da Orquestra chamado “Quarteto Baruque”, com instrumentistas de violino, viola erudita, violão e com ela nos vocais. Mas apesar disso, o amor pela música que conheceu na infância nunca morreu.

“Eu fui para música clássica porque queria aprender a raiz da música, mas sabendo desde já que não era para mim. Quando fiz 22 anos saí definitivamente da Orquestra. Até então nunca tinha trabalhado sozinha na vida. Apesar de ter viajado e buscado conhecimento ao redor do Brasil, eu ainda não tinha me apresentado sozinha”, contou Vanessa.

Com a explosão do “sertanejo universitário” em 2010, após incentivos de familiares e amigos, Vanessa resolveu se apresentar com músicas desse gênero que estava na tendência e permanece em alta até os dias de hoje.

“Eu não sou muito fã de sertanejo, mas decidi arriscar pois não tinha mulher no sertanejo. Um tempo depois, surgiu a Paula Fernandes, que me motivou ainda mais a cantar sertanejo. Fiz isso por algum tempo até receber a proposta para cantar no grupo Frenesi. Logo aceitei, pois, meu coração nunca deixou de lado o amor pelo pagode”, comentou.

Após sair do grupo de pagode e ter um tempo “sabático” sem cantar, no dia 11 de dezembro de 2016, Vanessa dava início a sua jornada como artista solo. Hoje, com apenas três anos de carreira solo, a cantora se emociona ao agradecer a todos que contribuíram para sua trajetória.

“Apesar de não parecer muito, eu fico muito feliz por ter conquistado tudo o que conquistei até agora. Eu sempre falo, eu não sou apenas a cantora ‘Vanessa Auzier’ eu sou ‘Vanessa Auzier e banda’, pois meus bailarinos, músicos, família e amigos. Todos contribuíram para eu chegar onde estou”, declarou Vanessa com olhos cheios de lágrimas.

“Alegria. É assim que eu defino o meu estilo musical. Eu apresento tudo que for dançante. Eu não gosto de ‘sofrência’. Eu até canto, mas prefiro as músicas animadas. Gosto de colocar a galera para dançar. Meus fãs me chamam de ‘rainha’ e até mesmo ‘Ivete do Hileia’ por estar sempre pulando e agitando nos shows. Pagode, sertanejo, axé. Tudo o que for para dançar é Vanessa Auzier”, comentou.

No carnaval de 2019, Vanessa lançou sua primeira música autoral com o produtor Luciano Kikão, chamada “Carreira Solo” e contou que já está com tratativa para lançar, este ano, a segunda música autoral com uma parceria nacional, que, por motivos contratuais, não pode divulgar o nome do artista.

“Quero lançar meu segundo single no início desse ano antes do Carnaval, pois iremos trabalhar durante todo período de folia. Além disso gravar um CD mais intimista que é algo que tenho muita vontade, um show com amigos e convidados. Também pretendo lançar um projeto voltado todo para o pagode também”, anunciou Vanessa.

Comentários