Venom, um dos inimigos que marcaram significantemente as histórias do Homem Aranha, terá seu próprio filme com estreia prevista para dia 04 de outubro de 2018 nos cinemas brasileiros. Mas você sabe a história sobre este vilão simbiótico? Confiram aqui mais detalhes sobre esta criação de Todd McFarlane, agora, caríssimos e caríssimas TriCuriosos!

Sua história apresenta diversos pontos de controvérsia, porém uma de suas versões contam sobre o simbionte Venom, um organismo com poderes catastroficamente desconhecidos. Para dar vida a suas habilidades, precisa de um hospedeiro, mas não um hospedeiro qualquer, um corpo humano com consciência e configurações diferentes das suas, porém, com intuitos que consigam se comunicar aos do parasita simbionte. Vem do planeta Klyntar, da galáxia de Andrômeda, e faz parte de um grupo de alienígenas simbiontes de mesmo nome. O nome do planeta vem da raça mais forte que o habitou, Klyntar, simbiontes que se uniam a diferentes animais para sua sobrevivência. Com sua evolução, a simbiose se intensificava cada vez mais, revertendo-se em poder: os Agentes do Cosmos, destinados à manutenção da paz no universo inteiro.

Porém, uniões entre os Klyntar e seres com más intenções acabavam por se corromper junto, se transformando em parasitas que possuíam corpos com consciências malignas. Esta catástrofe destruiu a ordem dos Agentes do Cosmos. A sobrecarga que as simbioses entre estas criaturas e seres corrompidos produzia matava os hospedeiros devido ao excesso de adrenalina. Venom, mantendo a proteção a seus hospedeiros, acabou por ser banido de seu planeta, sendo extraditado para o Mundo das Batalhas, onde encontra vários heróis já conhecidos. Dentre eles, o Homem-Aranha e é neste ponto que a interação de Venom com um ser humano começa.

A relação simbiótica não tem limites. Uma das histórias de Venom conta que esta criatura alienígena já se apossou do corpo e consciência de uma mulher, em um dia muito infeliz. Um taxista, distraído enquanto olhava para o Homem-Aranha, que passava de prédio em prédio, acabou atropelando, sem querer, o marido de uma mulher grávida. Chocada com a cena, entrou em trabalho de parto, resultando em um aborto espontâneo, devido às circunstâncias. Por isso, um ódio se instalou na consciência dela, ao ponto de atrair Venom para mais uma simbiose.

Eddie Brock, vizinho de Peter Park, também era um repórter. Ambos tinham muitos atritos nas competições no trabalho, o que deixava Brock com muito ódio de Peter. Venom, ao perceber esta relação entre os dois, já sabia qual seria seu próximo hospedeiro. Possuindo o  corpo do repórter, o simbionte alterou a química de seu corpo, potencializando seu ódio e força física.

Após a criação do personagem Carnificina, uma variação mais violenta do simbionte, de fevereiro a julho de 1993, Venom chegou a ter uma história somente para ele. Intitulado “O Protetor Letal“, trazia Venom quando empossado do corpo de Eddie Brock. Esta HQ da Marvel trazia seis edições, nas quais Venom combatia crimes na cidade de São Francisco, Califórnia. A curta série de revistas foi algo como “histórias-piloto” do personagem.