Após um bem-sucedido trabalho de ressurreição do estilo Gianni Versace na coleção de março passado, a irmã do estilista morto em 1997 e atual chefe criativa da grife familiar, Donatella Versace continua a resgatar elementos do sexy desinibido que ganhou o mundo nos 1980.

No desfile de verão 2019 da grife, em uma enorme sala forrada por tapetes com listras coloridas, Donatella testou os limites legais de para uso de vestidos curtos, bem ao estilo do final dos 1990, quando as supermodelos da Versace (Cindy Crawford, Naomi Campbell, Claudia Schiffer e companhia) balançavam a moda com pernas, colos e cinturas à mostra.

Entre as sugestões remodeladas dos arquivos da marca estão os looks construídos com desenhos usados em lenço e a pesada malha de metal, criação da marca que tomou os tapetes vermelhos e foi imortalizado na foto do retorno das supermodelos na temporada passada.

Couro, jérsei, transparências, estampas de bicho, pele à mostra. No ano que coroou o retorno da grife à cultura pop —a minissérie  “O Assassinato de Gianni Versace”  foi uma das grandes vencedores do Emmy deste ano—, sua imagem parece mais viva do que nunca.