“Em 28 de junho de 2016, eu escrevi, gravei e produzi uma música de fundo e fiz o upload em meu canal. Assim como todas as minhas músicas de fundo, eu mesmo a fiz – não quero me gabar, mas isso é relevante para a história. Eu ainda tenho inclusive o arquivo do projeto original e gravação das faixas no meu computador. Então, não há dúvida de que é uma música original minha”, introduziu sobre o assunto.

Quase dois anos depois, no último dia 25 de junho, veio a surpresa: “Fui notificado por e-mail de que a música de fundo que eu havia escrito, produzido e feito o upload há dois anos, a minha música, havia sido flagrada por um método chamado Content ID.”

A resposta veio em sequência: “Olá Paul, eu não sabia. Eu fiz o download de alguns arranjos de guitarra de algum lugar do YouTube. Se isso era seu, eu peço desculpas. Você consideraria me deixar continuar a usá-la? Se não, eu posso regravá-la. Por favor, me informe como nós podemos resolver isso de uma forma pacífica, obrigado.”

Paul conta que, já que não estava perdendo uma grande quantidade de dinheiro, não era uma música tão importante e o problema foi resolvido em questão de horas pela equipe do YouTube, após ela ter sido contatada, não tomou maiores providências, apenas enviou uma última mensagem ao colega.